Chapada das Mesas: O emblemático mirante do Portal da Chapada

Um lugar simbólico e imperdível para quem gosta de belas paisagens 


Depois de passar o dia nas Cachoeiras de Itapecuru, chegou a hora de partir para a cidade de Carolina para explorar a área do Parque Nacional da Chapada das Mesas. Mas antes de me estabelecer na cidade, segui direto para um dos maiores símbolos da região: o Portal da Chapada!

Antes de me estabelecer em Carolina, segui para visitar o Portal da Chapada no final da tarde


COMO CHEGAR?

O Portal da Chapada fica a 20 km da cidade de Carolina seguindo pela BR-230 (Transamazônica) no sentido norte (direção a Imperatriz-MA). Existe uma placa indicativa no lado direito da estrada e o início da trilha está do lado esquerdo. Basta parar o carro em um pequeno estacionamento de terra na beira da estrada e pagar uma taxa de R$ 10 (dezembro/2019) na entrada. Normalmente tem uma pessoa cobrando pois a atração fica em terreno particular. 

Placa na estrada indicando o local do Portal da Chapada


PORTAL DA CHAPADA

Ao iniciar a trilha, o rapaz que cobrou a entrada perguntou se eu tinha medo de altura. Respondi que não, então ele indicou a trilha que passa por outro mirante, seguindo à esquerda na bifurcação. Na hora não entendi, depois percebi que a trilha se divide, uma mais longa que evita subidas íngremes até chegar no Portal (recomendada para quem tem medo de altura), e a outra que vai para o Portal subindo por uma rocha mais íngreme (não muito) e passa por um outro mirante. É claro que recomendo a segunda que não tem nada de terrível, pelo contrário, tem uma linda vista.

Placas indicam a trilha que passa pelo mirante (esquerda) e a que dá uma volta até o Portal (direita)


O início é uma trilha de areia até começar a subida pela rocha


Depois de uma curta subida (bem curta mesmo) se chega no mirante


Outra vista da Chapada a partir do mirante


Mais alguns metros de caminhada e se chega no Portal da Chapada. O lugar é um furo na rocha de arenito feito pela erosão e que se assemelha à forma do mapa de Tocantins. Lá de cima é possível ter uma vista privilegiada das "mesas" da Chapada e do Morro do Chapéu. A caminhada até ali durou um pouco mais de 15 min.

O mapa de Tocantins formado pela natureza no Portal da Chapada


Olhando para a direita está o Morro do Chapéu


Olhando para o outro lado se vê outras formações típicas da Chapada das Mesas


Muitas pessoas e fotógrafos costumam subir ao Portal da Chapada durante o amanhecer (o sol está por trás do furo do Portal) e durante o pôr-do-sol (o sol está de frente ao portal). Naquele dia estava parcialmente nublado, mas consegui observar o Portal da Chapada por ângulos não convencionais ao voar com um drone. 

Vista do Portal da Chapada de cima através das lentes de um drone


O que é um pontinho preto na Chapada das Mesas?


PARTIDA PARA CAROLINA

Os meus próximos pernoites na Chapada das Mesas seriam na cidade de Carolina, a mais bem estruturada da região, mas que mantém sua atmosfera histórica e tranquila de cidade de interior. Para usar a cidade como base para explorar o Parque Nacional escolhi uma pousada acolhedora e bem localizada no centro histórico: a Pousada Vale das Águas. No próximo post vou relatar com mais detalhes minha experiência em Carolina e as vantagens da escolha da pousada.

Chegada na Pousada Vale das Águas


MEU ROTEIRO

Anterior: ITAPECURU

Roteiro completo: CHAPADA DAS MESAS

Próximo: CAROLINA



Siga A Mochila e o Mundo:





Comentários

Sobre o autor

Sobre o autor
Renan tem 38 anos, é carioca, mochileiro, torcedor do Botafogo, historiador e arqueólogo amador. Gosta de viajar, fazer trilhas, academia, ler sobre a história do mundo e os mistérios da arqueologia, sempre comparando os lados opostos de cada teoria. Cada viagem que faz é fruto de muito planejamento e busca conhecer o máximo de lugares possíveis no curto período que tem disponível. Acredita que a história foi e continua sendo distorcida para beneficiar alguns grupos, e somente explorando a verdade oculta no passado é que se consegue montar o quebra-cabeça do mundo.