Inicio » , , , » Noruega: 2 dias nas fantásticas ilhas de Lofoten

Noruega: 2 dias nas fantásticas ilhas de Lofoten

O Sol da Meia Noite e a natureza exótica do norte do país



Lofoten (Lufút, como se fala em norueguês) é um arquipélago, com ilhas interligadas através de pontes, que fica no norte da Noruega. Muita gente quando viaja para o norte da Noruega costuma ir para a cidade de Tromsø que é mais bem estruturada turisticamente, de acesso mais fácil pela proximidade do aeroporto e famosa por facilitar a observação da Aurora Boreal devido à posição geográfica. Lofoten tem a mesmas características geográficas de Tromsø, estando na mesma latitude da Groelândia, norte do Alaska e da Sibéria, porém, o diferencial são as belezas naturais. Lofoten é um paraíso quase intocado pela dificuldade de acesso. O aeroporto mais próximo fica em Evenes, sendo necessário percorrer quase 300 km até a extremidade do arquipélago. Além disso, a natureza da região dá um show único no contraste de suas montanhas de cume pontiagudo com suas praias de cor esverdeada e pequenas vilas de pescadores do bacalhau norueguês. Na minha opinião, Lofoten é uma aventura que vale a escolha no lugar de Tromsø.

As praias de água esverdeada já podem ser vistas na chegada em Lofoten


COMO CHEGAR?

Minha viagem à Noruega começou, na verdade, na Suécia. O vôo de ida até Estocolmo estava mais barato, então aproveitei para visitar a capital sueca e, no final do dia, voei até Oslo. Nos meus planejamentos sempre procuro começar pelo lugar mais distante até voltar à origem, por isso dormi no aeroporto de Oslo para economizar e decolei às 9h00 da manhã seguinte para Evenes. O vôo da Norwegian Airlines durou 1h 40 min desde Oslo e custou R$ 657 (Estocolmo x Oslo x Evenes). Agora vem o choque: para me deslocar pelo arquipélago foi necessário alugar carro, porém o valor é "astronômico" em Lofoten. O preço mais barato foi da empresa SIXT e custou 200 USD a diária!!!! Tudo bem que eu sabia que a Noruega é um dos países mais caros do mundo e que eu estava em plena alta temporada, mas este foi o aluguel de carro mais caro que paguei na vida! Foram 280 km de direção até a ilha de Hamnøy, pegando a esquerda na estrada E10 ao sair do aeroporto e seguindo a viagem toda nessa estrada (ficar atento às placas). O Google Maps calculou 4h 20min de deslocamento, mas na real durou 7 horas devido às paradas nos mirantes, compras no mercado e obras na pista. Durante toda viagem usei a internet da Easysim4u pelo celular.

 
O deslocamento é longo, mas as paisagens no caminho compensam


Em vários pontos vale fazer uma parada para admirar a natureza de Lofoten


ONDE FICAR?

Para experimentar a cultura de Lofoten, meu objetivo era me hospedar em uma rorbu que é um tipo de casa norueguesa usada tradicionalmente por pescadores da região. Para isso, fiquei em Eliassen Rorbuer que é uma estância tradicional localizada na paradisíaca ilha de Hamnøy. A maioria das cabines são casas originais de pescadores que foram totalmente renovadas e ajustadas para receber turistas que visitam Lofoten. Elas apresentam um ou dois quartos com mobiliário novo, cozinha totalmente equipada, banheiro e varanda. Muitas das cabanas têm uma vista deslumbrante do fiorde espetacular de Reinefjord, das montanhas íngremes e do pitoresco porto de Hamnøy. As reservas podem ser feitas pelo site https://rorbuer.no/ ou através deste link do Booking.com. Veja a localização de Eliassen Rorbuer no Google Maps.

Eliassen Rorbuer fica na paradisíaca ilha de Hamnøy


A experiência é como viver em uma cabine original totalmente renovada


A cozinha é completamente equipada, o que facilita preparar a própria comida


Uma cama confortável depois de dormir no aeroporto e de 7 horas da estrada


Banheiro privativo novo, limpo e com água quente


RYTEN HIKE

Já era noite mas estava bem claro, então segui para a segunda etapa do roteiro: fazer a trilha para o monte Ryten, uma das mais famosas de Lofoten e que permite a vista de Kvalvika Beach com suas águas esverdeadas. Me desloquei 20 km (30 min) de Hamnøy até a vila de Fredvang onde começa a trilha. Existem dois estacionamentos: O Estacionamento Principal fica logo depois da pontes de Fredvang, siga as placas para Yttresand e permaneça reto até Fredvang. A estrada vira para a esquerda e, em seguida, você verá um estacionamento grande e gramado no lado esquerdo da estrada. Custa 100 NOK (julho 2019). O Estacionamento do Peat Museum é também chamado de Lofoten Torvmuseum, bastando seguir a estrada dentro de Fredvang até o final, à esquerda. Custa 50 NOK durante o dia e 100 NOK para pernoitar. É como uma área de camping, possui banheiro e água. Foi nesse último que deixei o carro.

Mapa da trilha a partir dos estacionamentos em Fredvang


Começei a trilha às 22h30, passando pela cerca da propriedade e por um campo verde com flores que vai em direção à trilha do Estacionamento Principal, ao lado de outra cerca, e então sobe para a direita. A partir da subida a trilha é bem fácil de se orientar, passando por algumas tábuas de madeira que evitam que se pise na lama.

Início da trilha, após cruzar a cerca da propriedade


A trilha começa a subir, mas não é tão íngreme


No caminho depois da subida, passei por lagos formados pelo degelo até chegar numa placa na bifurcação para Hytta (um mirante para Fredvang) que creio que não vale o esforço. Continuei seguindo em direção a Ryten até a primeira vista de Kvalvika Beach. Neste ponto, havia uma nuvem parada que prejudicava a visão. Quando mais eu subia, mais fechado estava. Resolvi voltar pois o cume do monte Ryten estava totalmente fechado com a nuvem. No cume existe uma pedra semelhante à Pedra do Telégrafo, do Rio de Janeiro, em que é possível tirar fotos com a ilusão de um abismo abaixo. Como a nuvem não deixou, valeu apenas tirar uma foto da praia e de suas águas de cor esmeralda, mesmo com o dia nublado. A trilha completa tem 8,7 km (ida e volta) e dura entre 3 a 5 horas (fiz em 3h).

Vista da pequena Fredvang


Bifurcação para Ryten e Hytta


Ovelhas pastando no alto da montanha


O cume do monte Ryten estava encoberto por uma nuvem


Kvalvika Beach e suas águas de cor esmeralda


O SOL DA MEIA NOITE

Lofoten é um dos lugares do planeta em que, durante um período do verão, o sol nunca se põe, ele apenas baixa na linha do horizonte e sobe novamente. Este fenômeno é chamado de Sol da Meia Noite e acontece devido à posição do sol em relação ao norte geográfico. Na Noruega, o Sol da Meia Noite "raiz" só pode ser observado no norte, em outras regiões do país o sol se põe por algumas horas.

Tabela de horário de sunrise/sunset de julho em Lofoten, no site Timeanddate.com


Como minha intenção era ver o Sol da Meia Noite no alto do monte Ryten mas as nuvens não deixaram, segui até o início da trilha para Reinebringen que é a mais famosa de Lofoten. Infelizmente a trilha estava fechada para reforma pois havia perigo de pedra solta. O interessante é que a reforma da trilha estava sendo feita por Sherpas, o povo das montanhas do Himalaia. O início da trilha se encontra após o túnel da vila de Reine e, apesar de estar interditada, foi ali que tive uma vista sensacional do Sol da Meia Noite sobre as montanhas de Lofoten, às 01:30 a.m.

Vista do Sol da Meia Noite às 01:30 a.m. no estacionamento após o túnel de Reine


Trilha tracejada de Reinebringen (clique na foto para ampliar)



DIA 2

ELIASSEN RORBUER

A manhã do segundo dia foi planejada para aproveitar a espetacular área de Eliassen Rorbuer. Ali existe uma praia em que é possível observar as montanhas de cume pontiagudo que cercam as águas coloridas. Aquilo me trouxe a sensação de que eu estava em um cenário de filme. Ainda sobrevoei aquele local com um drone para ver aquela maravilha de outro ângulo. Certamente é um dos lugares mais bonitos da Noruega.

Casas originais e tradicionais disponíveis em Eliassen Rorbuer


A praia de Eliassen Rorbuer é o ponto de destaque na ilha


Ilha de Hamnøy e Eliassen Rorbuer sob a ótica de um drone


O contraste com a cor das águas é bonito de qualquer ângulo


Eliassen Rorbuer fica localizado em um dos lugares mais espetaculares do país


REINE

Próximo de Hamnøy (5 km) está localizada a vila de Reine. É uma ilha um pouco maior e que possui casas tradicionais ainda habitadas por famílias que se dedicam à pesca do bacalhau (skrei, em norueguês). No final da primavera, milhares de toneladas de bacalhau são penduradas para secar em prateleiras de madeira.

Reine é moradia de famílias de pescadores de bacalhau


As águas de Reine são um paraíso à parte


UTTAKLEIV BEACH

No retorno ao aeroporto fui parando e conhecendo outros pontos interessantes de Lofoten. Um deles seria a praia de Uttakleiv, mas me decepcionei! Para chegar na praia é necessário pagar 50 NOK para estacionar o carro (permanência até 3h). O pagamento é através de uma máquina que só aceita cartão de crédito e o idioma do sistema é em norueguês. O valor para acampar na praia é 200 NOK por pessoa.

Caixa automática para pagar o estacionamento na Uttakleiv Beach


Gastei meu dinheiro a toa pois não tem nada demais naquela praia, talvez para os noruegueses seja algo muito legal, mas para um brasileiro não passava de uma praia normal e com ventos frios. O arrependimento de ter pago o estacionamento foi maior ao ver que havia praias bem mais bonitas no caminho e que não precisava pagar para estacionar, como a Haukland Beach.

Essa é a Uttakleiv Beach 😒


A parte mais legal de Uttakleiv foi brincar as ovelhas pastando


Em Haukland Beach é possível parar o carro na estrada sem custos


Enseada de belas águas esverdeadas em Haukland Beach


Outra praia no caminho de Lofoten. Não é famosa, mas achei mais bonita que Uttakleiv 


O caminho de volta é cheio de belezas naturais e pequenas vilas de pescadores bem fotogênicas. Outra atração é o Lofotr, um museu baseado na reconstrução e nas escavações arqueológicas da maior moradia viking jamais descoberta em todo o mundo. Como a entrada custava 200 NOK (quase R$ 100 😵!!!) eu passei direto! Mais informações no site www.lofotr.no.

Museu Lofotr com ruínas de um assentamento Viking


Igrejinha típica da região


PARTIDA PARA MOLDE

Cheguei no aeroporto por volta das 18h00. Uma dica para quem vai devolver o carro alugado com o tanque cheio é que existe um posto de gasolina próximo do aeroporto, do outro lado da estrada. Depois de dois dias rodando com o carro por mais de 600 km, o valor para recompletar a gasolina foi de 560 NOK. Às 20h00 embarquei num vôo da Norwegian em direção à cidade de Molde para meu próximo destino do roteiro.

Ao avistar a Ponte de Evenskjer significa que o aeroporto está próximo


MEU ROTEIRO

Anterior: ESTOCOLMO (Suécia)

Roteiro completo: MISSÃO NORUEGA

Próximo: GEIRANGER



Siga A Mochila e o Mundo:





Comentários
0 Comentários

0 comentários :

Postar um comentário

Anterior Proxima Página inicial

Reservas na Asia

trazy.com

Promoção! Reserve aqui

Booking.com

Se inscreva no canal

Clique aqui para seguir no

Pesquise o seu destino aqui

Booking.com

Leia Também

Viagens pelo Mundo

Sobre o autor

Sobre o autor
Renan tem 37 anos, é carioca, mochileiro, torcedor do Botafogo, historiador e arqueólogo amador. Gosta de viajar, fazer trilhas, academia, ler sobre a história do mundo e os mistérios da arqueologia, sempre comparando os lados opostos de cada teoria. Cada viagem que faz é fruto de muito planejamento e busca conhecer o máximo de lugares possíveis no curto período que tem disponível. Acredita que a história foi e continua sendo distorcida para beneficiar alguns grupos, e somente explorando a verdade oculta no passado é que se consegue montar o quebra-cabeça do mundo.

Total de visualizações