Inicio » , , , » EUA: Nos corredores surreais do Antelope Canyon

EUA: Nos corredores surreais do Antelope Canyon

Um dos lugares mais incríveis e fotogênicos do Arizona


O Antelope Canyon é definido como um slot canyon, um estreito abismo de erosões em arenito. Com o passar dos anos, a água e a areia arredondaram as bordas e formaram curvas nas rochas que ficam ainda mais impressionantes com a iluminação natural. É um dos locais preferidos dos fotógrafos profissionais. Uma curiosidade: a fotografia mais valiosa do mundo foi feita no interior do Antelope Canyon pelo australiano Peter Lik e vendida por US$ 6,5 milhões.


COMO CHEGAR?

Percorri 281 milhas (452 km) por 4h30min de Las Vegas até a pequena cidade de Page, no Arizona. O acesso é feito pela rodovia US 89. Cheguei de madrugada e, para economizar, pernoitei dentro do carro que parei no estacionamento (gratuito) do Horseshoe Bend. Veja o local no Google Maps.  No dia seguinte segui mais 7 milhas (12km) até o Lower Antelope Canyon. Do semáforo na Coppermine Road, siga 2 milhas a leste na US 98. Vire à esquerda (norte, rota N22B do Navajo).

Chegada na Ken's Tours, em Lower Antelope Canyon 


COMO RESERVAR O TOUR?

Não é possível visitar o Antelope Canyon por conta própria, sendo o acesso feito apenas com tours guiados. Em alta temporada é aconselhável reservar com bastante antecedência pela internet. São duas as opções para se visitar o cânion:

UPPER ANTELOPE CANYON - É um lugar mais cavernoso e as excursões são feitas, dentre outras, pela Adventurous Antelope Canyon Tour. Para chegar no cânion é necessário andar por 15 minutos através de uma estrada de areia e a visita guiada dura cerca de 1 hora. Quando eu pesquisei os valores, este tour era uma opção mais cara.

LOWER ANTELOPE CANYON - Foi a opção que eu escolhi. As excursões são feitas pela Kens Tours e duram de 1 a 1,5 horas. É necessário fazer reserva online mas o pagamento é feito no local em dinheiro. Também é possível chegar na hora e verificar a disponibilidade de vagas. O pacote básico realiza o tour com 15 pessoas por guia.

Entrada da Kens Tours


Após fazer a reserva online, recebi um email pedindo para confirmar entre 24 a 48 horas antes da visita através do link recebido. Caso não seja realizado o tal check-in pelo menos 30 minutos antes do horário da excursão, poderá perder a reserva. Dica importante: fique ligado no horário da cidade de Page, no Arizona (consulte pelo Google se for o caso) pois há diferença de fuso horário entre outros estados, por exemplo, com o Utah! Não vá perder a hora agendada!

Sala de espera para iniciar o passeio


Como o pagamento é feito na hora no guichê da Kens Tours, é recomendado chegar com pelo menos 30 min de antecedência. O ticket me custou cerca de 50 USD (40 + taxas dos índios Navajo). Existe uma sala climatizada para espera do início do tour onde é possível comprar bebidas (caras!). É proibido levar bolsas, GoPro, paus de selfie e tripés pois esses equipamentos podem arrastar nas rochas e estragar suas formas. Recomenda-se levar água, mas não pode ter bolsas, ou seja, para evitar carregar na mão, eu improvisei a amarração da garrafa na cintura com um pedaço de saco plástico. Sugiro levar uma cordinha se quiser ficar com as mãos livres.

Equipamentos proibidos no Antelope Canyon


Em condições de chuvas o tour pode ser cancelado por segurança. Em 1997, uma tromba d´água matou 12 turistas no Antelope Canyon e as medidas de controle ficaram mais severas. Antes de iniciar o tour, existe um briefing na sala de espera e depois a divisão das pessoas por grupos. Cada guia acompanha cerca de 15 pessoas mas os grupos não ficam muito afastados, o que atrapalha as fotos individuais. 

Caminhada curta até a entrada do cânion


COMO FOTOGRAFAR?

Antes de entrar no cânion, o guia, descendente dos índios Navajo, mostrou que conhece bem a tecnologia e ensinou a todos como obter as melhores fotografias com os smartphones. Lá vão as dicas valiosas:

☛ IPHONE - se você possui um smartphone da Apple, o recomendado é fotografar com o filtro "Chrome".

☛ SAMSUNG GALAXY - se você possui um smartphone da Samsung (como foi o meu caso, com um modelo S7), entre nos efeitos de câmera, deslize a tela da câmera para a direita, e clique em "Pro". Ao abrir a tela, selecione a opção WB 6500K e depois selecione o ícone de nuvem, conforme a imagem abaixo.

Tela na opção "Pro" dos efeitos de câmera


Outras dicas gerais: mantenha o flash desligado e procure ir próximo do horário quando o sol está diretamente acima da cabeça (entre 10h30 e 12h30), entre o final de março a início de outubro. É lógico que um dia claro e ensolarado ajuda. Fui no horário das 8h30 no final de julho e a iluminação estava perfeita também.


LOWER ANTELOPE CANYON

O acesso ao interior do cânion é feito por uma escada de metal, colocada ali para proteger a frágil formação rochosa. O guia pede para não fotografar ou filmar a descida pela escada, explicando que é uma medida de segurança para ninguém cair ou deixar a câmera cair na cabeça de alguém.

Descida de 20 metros até o interior do cânion


Na parte mais aberta, a iluminação forte ainda não cria os efeitos de luz


Os corredores do cânion são estreitos e a proximidade dos grupos atrapalha para tirar boas fotos. Talvez não será possível fotografar em todos os ângulos, principalmente porque o guia faz paradas rápidas durante o percurso. É tudo meio corrido, mas mesmo assim ainda é possível registrar a beleza do lugar. O guia também costuma se oferecer para fotografar de alguns ângulos que só ele conhece.

Os grupos reúnem cerca de 15 pessoas por guia


Alguns ângulos criam imagens surreais


Muita gente para pouco espaço


Neste ponto há uma escada para mudar de nível


A cada curva um cenário surpresa


Outro ângulo registrado nas paredes do cânion


Arco criado pela erosão

Em algumas partes do cânion acontece a pareidolia que é um fenômeno psicológico que nos faz associar as formas das rochas com figuras conhecidas por nós. Entre elas estão o tubarão do filme Procurando Nemo, a imagem de uma cabeça com cabelos esvoaçantes e até o polêmico presidente Donald Trump!

Formação parecida com o tubarão do filme Procurando Nemo


Foto tirada pelo guia que parece a imagem de dunas


Esta obra de artes da natureza lembra uma cabeça com cabelos esvoaçantes


São tantas formas e efeitos de luz que o nosso cérebro cria imagens


Formação conhecida como o "perfil do Trump"


A vida surge onde os raios de sol são frequentes


Vista superior a partir do interior do cânion


O tour acaba de volta à superfície, mas as surpresar ainda não. O guia explicou que aquela região é rica em fósseis de dinossauros e mostrou a impressão de 3 pegadas fossilizadas numa rocha sedimentar que fica no piso próximo à saída do caniôn.

Esta fenda estreita é a saída do Lower Antelope Canyon


Pegada de dinossauro


MEU ROTEIRO

Anterior: PLANEJAMENTO, DICAS E CUSTOS

Roteiro completo: MISSÃO OESTE AMERICANO

Próximo: HORSESHOE BEND


Siga A Mochila e o Mundo:





Comentários
0 Comentários

0 comentários :

Postar um comentário

Anterior Proxima Página inicial

Reservas na Asia

trazy.com

Promoção! Reserve aqui

Booking.com

Se inscreva no canal

Clique aqui para seguir no

Pesquise o seu destino aqui

Booking.com

Leia Também

Viagens pelo Mundo

Sobre o autor

Sobre o autor
Renan tem 36 anos, é carioca, mochileiro, torcedor do Botafogo, historiador e arqueólogo amador. Gosta de viajar, fazer trilhas, academia, ler sobre a história do mundo e os mistérios da arqueologia, sempre comparando os lados opostos de cada teoria. Cada viagem que faz é fruto de muito planejamento e busca conhecer o máximo de lugares possíveis no curto período que tem disponível. Acredita que a história foi e continua sendo distorcida para beneficiar alguns grupos, e somente explorando a verdade oculta no passado é que se consegue montar o quebra-cabeça do mundo.

Total de visualizações