Inicio » , , , , » Ucrânia: Explorando a área radioativa de Chernobyl

Ucrânia: Explorando a área radioativa de Chernobyl

O local do mais famoso acidente radioativo ocorrido na história


Em 26 de abril de 1986, enquanto eu ainda tinha quatro anos de idade, ocorreu na então União Soviética um acidente no reator 4 da Usina Nuclear de Chernobyl. Ninguém sabe ao certo a causa, se foram problemas de engenharia, falha de operadores ou mesmo sabotagem. Porém, a explosão ocorrida causou um incêndio extremamente tóxico que espalhou material radioativo (Césio 137) por toda Europa. Por esse motivo, o nome "Chernobyl" acompanhou a minha infância como sinônimo de acidente nuclear. Após 31 anos da catástrofe chegaria a hora de eu visitar pessoalmente aquele local tão temido.


COMO CHEGAR?

Chernobyl é uma área controlada pelo governo ucraniano. Para visitar-la é necessário contratar uma agência autorizada com antecedência. Cheguei a pesquisar que há uma regulamentação do governo que estipula que o pedido de licença de acesso à zona de exclusão deve ser feito pelo menos 10 dias úteis antes da visita planejada. Não sei se isso ainda é válido, mas não custa avisar.

Check point de Dytyatky para entrada na área de exclusão de Chernobyl


Minha agência escolhida para acesso à Chernobyl foi a Ukrainian Web pois além do excelente preço, fui muito bem atendido pelo Yuri, um agente sempre rápido e prestativo ao responder meus emails e conseguiu esclarecer todas as dúvidas com uma boa comunicação em inglês (coisa rara na Ucrânia). Algumas recomendações feitas pela Ukrainian Web para o tour:

IMPORTANTE (no verão):
- Certifique-se de usar um tipo de roupa fechada: mangas compridas, sem calção, calçado desportivo ou casual (sem flip-plops, sem sandálias).
- É aconselhável levar sapatos resistentes, pois há muito vidro quebrado em Pripyat".
- Não se esqueça do repelente de mosquito.
- Embora o almoço esteja incluído no seu passeio, certifique-se de trazer água engarrafada extra com você. Snacks também são permitidos.

Talvez o mais importante a se saber é que para entrar na área de exclusão de Chernobyl é imprescindível estar portando o passaporte.

As vans das agências também são verificadas


Conforme combinado através de emails, às 7h30 eu estava em frente ao Dnipro Hotel esperando a van da Ukrainian Web e as demais pessoas do grupo que se reuniriam por ali. São cerca de 2h30 de viagem até a entrada na área de exclusão de 30 km criada após o acidente nuclear.

Até as bolsas e mochilas de todos os visitantes são revistadas antes de entrar na área


DENTRO DA ÁREA DE EXCLUSÃO

A radiação nos locais onde acontece o tour guiado é relativamente pequena. Os níveis de radiação na maioria dos lugares são inferiores aos de uma aeronave voando a 30.000 pés (9 km). O principal perigo não é a própria radiação, mas as partículas de materiais radioativos que podem permanecer em suas roupas ou itens.

A primeira parada é na placa original de "boas-vindas" de Chernobyl 


O acidente nuclear ocorreu às 1:23 da manhã, com duas grandes explosões. A primeira explosão soprou o telhado de concreto do reator, pesando 2 mil toneladas a 30 m acima!!! 😱. A segunda explosão seguiu apenas 2 a 5 segundos após a primeira. A explosão lançou detritos radioativos a uma altitude de mais de 1 km, contaminando as nuvens. O vento levou nuvens radioativas até a Escandinávia, Polônia, Áustria, Alemanha e França, Reino Unido e a Irlanda. A chuva radioativa caiu depositando água contaminada no continente europeu.

Uma sinistra escultura de um "anjo da morte" simbolizando o desastre


Ucrânia e a Bielorrússia evacuaram quase 400 mil pessoas dessas zonas de exclusão. Cerca de 98 aldeias e cidades ficaram completamente abandonadas. As partículas radioativas permanecem até hoje no interior das matas, principalmente na Red Forest (Floresta Vermelha), por isso recomenda-se pisar somente nas trilhas previstas e evitar pisar no mato.

Este memorial forma um corredor com placas das cidades atingidas


A ESTÁTUA DE LENIN

A guia explicou que é nesta área que ainda resta a última estátua do líder comunista Lenin que está de pé na Ucrânia. As demais foram derrubadas em todo país pelo povo revoltado com os efeitos do comunismo. Só consegui fotografar a estátua com a van em movimento e deu para perceber que o desgosto dos ucranianos pelo comunismo é tão grande que não fazem questão de incluir isso no tour.

Única estátua de Lenin ainda de pé no país. Existe, porém, um projeto para removê-la do local


MONUMENTO AOS BOMBEIROS

Os primeiros a tentar conter o incêndio foram sete bombeiros da central elétrica de Chernobyl. Não sabiam que o acidente era mais do que um incêndio elétrico e não foram informados do perigo radioativo. Morreram por efeitos da radiação dias depois.

Monumento aos 7 bombeiros que enfrentaram o incêndio no Reator-4 de Chernobyl


DUGA-1 (RUSSIAN WOODPECKER)

Este aparelho gigante é um antigo sistema de radar soviético usado para alerta antecipado anti-balístico. O sistema funcionou de 1976 a 1989, um perto de Chernobyl e outro no leste da Sibéria, protegendo assim o território russo. Para os ouvintes de ondas curtas, o radar apareceu de repente, soando como um ruído de repetição em 10 Hz, o que levou a ser apelidado como "Pica-pau Russo" (Russian Woodpecker). Existe um projeto para a desmontagem da estrutura desse radar em breve .

Entrada da base militar abandonada que comportava o radar Duga-1


Viaturas em estado de deterioração 


Placas que permanecem até hoje no acesso ao radar


A estrutura do radar é impressionante, mas já está obsoleta para a tecnologia atual


Para quem está preocupado com a radiação ou simplesmente quer se divertir, é possível alugar dosímetros de radiação com a Ukrainian Web. O valor era de 350 Hryvna na ocasião. Também há a opção de comprar um por 199 USD.

Dosímetro medindo o nível de radiação no sítio do radar


A CRECHE ABANDONADA

Um dos lugares mais macabros é a creche abandonada após evacuação da cidade. Tudo permaneceu como naquele último dia de aula, inclusive os brinquedos deixados para trás pelas crianças. Por ser uma área coberta pela floresta, partículas radioativas permanecem no local. A radiação normal é de 0.3 microsieverts/hora, mas naquele local o dosímetro marcava 5.21 microsieverts/hora.

Brinquedos largados para trás na rápida evacuação da creche


O dosímetro acusando a alta radiação naquele local


Os visitantes são autorizados a entrar na creche


O chão já está cedendo depois de mais de 30 anos de abandono


Os brinquedos que permaneceram parecem ser mau assombrados


Camas que eram leito de crianças que perderam tudo


Dentre os livros abandonados, a figura de Lenin aparece no material de doutrinação comunista


REATOR-4 (O SARCÓFAGO)


Foram 7 meses desde a explosão do reator até a conclusão da estrutura de concreto para conter a radiação, batizada de “Sarcófago”. Foi construído como medida provisória, possuindo falta de estabilidade devido sua construção ter sido feita "às pressas", havendo assim certo risco de ferrugem nas vigas. Com isso, considera-se que foi construído para durar de 20 a 30 anos. Só para lembrar: na minha visita já havia completado 31 anos do acidente 😓😓😓.

A Usina Nuclear de Chernobyl vista de longe


O Sarcófago criado para conter a radiação do Reator-4


O ponto de observação mais próximo fica a 200 metros do sarcófago do reator. Os níveis de radiação no local são menores que em outros lugares da região. Nesse local a guia informa que é proibido fotografar as instalações da usina, sendo autorizado apenas imagens da área do Sarcófago.

Monumento da Usina Nuclear. Este é o limite de aproximação dos visitantes


O rio em frente à usina tem abundância de peixes, inclusive uns bem grandes (a guia jurava que não era por causa da radiação)


A CIDADE DE PRIPYAT

Pripyat fica localizada a 110 km de Kiev e 16 km da fronteira com a Belarus (Bielorrússia). A União Soviética apostava nessa pequena cidade de cerca de 50 mil habitantes como um modelo padrão do regime comunista, formando jovens que se tornariam os intelectuais do futuro dessa ideologia. Para isso, havia investimento em escolas, cursos de música e esportes. Mas o acidente na usina nuclear colocaria um fim na cidade. Depois de 30 horas passadas da explosão no reator-4, toda a população de Pripyat começou a ser evacuada pelos militares para campos de refugiados. Não puderam levar nenhum de seus pertences, nem mesmo a roupa do corpo!

A placa de Pripyat sendo engolida pela vegetação


Porto abandonado de Pripyat


No alto do prédio, o símbolo do comunismo soviético em ruínas se tornou uma imagem sugestiva


MERCADO

Outro cenário chocante é o mercado usado pela população da cidade. O local chegou a ser saqueado após a evacuação, assim como outras instalações de Pripyat. Desde abril de 2012, as excursões não podem mais entrar nos edifícios devido a um acidente ocorrido cujo rompimento na estrutura de um piso feriu vários turistas.

Nem a radiação assustou os saqueadores após a evacuação da população


PARQUE DE DIVERSÕES

Talvez este seja o local mais simbólico das causas do acidente nuclear de Chernobyl. É um cenário que nos faz refletir sobre aquela área que foi criada para diversão das famílias mas acabou sendo cenário de uma grande catástrofe. Uma curiosidade é que a evacuação de Pripyat ocorreu dias antes da inauguração da roda gigante, que nunca chegou a ser usada.

Destroços do que sobrou de um carrossel abandonado


A autopista com os carros parados na mesma posição da última vez que foram usados


Vegetação e ferrugem consumindo os brinquedos


Frente à frente com a roda gigante que nunca chegou a rodar


Esta roda gigante aparece em alguns games como STALKER: Shadow of Chernobyl e Call of Duty 4: Modern Warfare


ESTÁDIO

O esporte era valorizado em Pripyat e através dos atletas que os soviéticos demonstrariam sucesso de seu regime para o mundo nas Olimpíadas. Hoje só restam escombros do estádio e a vegetação tomou todo o campo.

Bilheteria do estádio abandonado de Pripyat


Ruínas do que foram as arquibancadas do estádio


Cogumelo gigante desenvolvido provavelmente pela radiação


RETORNO PARA KIEV

Após explorar as ruinas de Pripyat, retornamos para fora da área de exclusão para almoçar. A comida desceu bem: caldo, carne, batata, pão, queijo, presunto e suco. A última atividade antes de sair pelo Check Point Dytyatky seria passar por um aparelho que checa o nível de radiação. É um portal em que os visitantes colocam as mão e pés no local indicado e a máquina escaneia o corpo. Eu passei ileso!! 😅

Prédios abandonados já ficando cobertos pela vegetação


Caso seja detectado alguma contaminação por radiação em algum objeto pessoal, ele será recolhido e destruído. É isso mesmo! Por isso, muita atenção onde pisa, pois você pode perder o seu par de tênis preferido!

Hora do retorno à van da agência Ukrainian Web para a despedida de Chernobyl


Às 19h, ainda com o dia ensolarado de verão europeu, a van da Ukrainian Web chegou ao Dnipro Hotel e o tour estava concluído. Retornar à Kiev foi como retornar ao presente depois de dar um passeio no passado.


MEU ROTEIRO


Roteiro completo: MISSÃO UCRÂNIA-ROMÊNIA

Próximo: LVIV


Comentários
0 Comentários

0 comentários :

Postar um comentário

Anterior Proxima Página inicial

Reservas na Asia

trazy.com

Promoção! Reserve aqui

Booking.com

Se inscreva no canal

Clique aqui para seguir no

Pesquise o seu destino aqui

Booking.com

Leia Também

Notícias de Viagens

Viagens pelo Mundo

Sobre o autor

Sobre o autor
Renan tem 35 anos, é carioca, mochileiro, torcedor do Botafogo, historiador e arqueólogo amador. Gosta de viajar, fazer trilhas, academia, ler sobre a história do mundo e os mistérios da arqueologia, sempre comparando os lados opostos de cada teoria. Cada viagem que faz é fruto de muito planejamento e busca conhecer o máximo de lugares possíveis no curto período que tem disponível. Acredita que a história foi e continua sendo distorcida para beneficiar alguns grupos, e somente explorando a verdade oculta no passado é que se consegue montar o quebra-cabeça do mundo.

Total de visualizações