México: Show de luzes e sons em Chichén Itzá

Um impressionante show de efeitos visuais todo projetado na pirâmide 


Eu já havia ouvido falar desse tipo de espetáculo de luzes e sons em outros sítios arqueológicos, até mesmo nas pirâmides de Gizé, no Egito, mas achava que era uma coisa boba, tipo umas luzes que ficariam piscando e trocando de cor nos monumentos... mas não era bem assim...


COMO ASSISTIR AO SHOW?

Em primeiro lugar se deve saber que o Show de Luces y Sonidos de Chichén Itzá não é cobrado. Os ingressos são obtidos através de vouchers distribuídos pelos hotéis e agências de turismo. Foi no lugar que me hospedei, no Hotel Dolores Alba, que ganhei o voucher para o show. Como eu não estava planejando assisti-lo inicialmente, deixei de lado e me preocupei durante o dia com as explorações em Chichén Itzá e Ek Balam. Foi só no final da tarde que resolvi pegar o voucher e percebi que iria perder o show grátis...

O hotel fica na estrada Pisté-Valladolid a uma distância de 5 km do sítio de Chichén Itzá


Para trocar o voucher, é preciso entrar neste site e cadastrar o número do voucher. Depois de cadastrado e escolhida a data, deve-se ir até a bilheteria de Chichén Itzá para retirar o ingresso entre 17h-18h30 (período que a bilheteria abre para o show). Normalmente o show acontece de 19h às 21h no inverno e 20h às 22h no verão. O problema é que quando eu descobri isso já eram 18h e não havia mais horário para cadastrar o voucher no site.

Os espectadores se reúnem numas cadeiras improvisadas aguardando o início do show


Num ato de "tudo ou nada", segui até as bilheterias de Chichén Itzá apenas com o voucher na mão. Chegando lá já estavam fechadas, mas junto comigo, haviam várias pessoas com o mesmo problema. Um funcionário pediu para fazer fila e foi colocando o pessoal para dentro a medida que sobrava vagas. Como não estava lotado, deu para todo mundo entrar, inclusive eu (ufa!).

Apenas uma iluminação simples no início me fazia não ter muita expectativa


NA PLATÉIA DA PIRÂMIDE

O céu estava fechado e ameaçando chover, mas assim que deu o horário de início tudo ficou perfeito para o show. Inicialmente, antes do show propriamente dito, acontece uma palestra de 30 min sobre as relações matemáticas e astronômicas de Chichén Itzá.

Lá está ela, a pirâmide se transformará em projetor em breve


Uma aula sobre os estudos científicos de Chichén Itzá acontece no telão ao lado 


UM SHOW SURPREENDENTE

Ao começar a projeção dá para perceber que cada segundo ali foi bem aproveitado. Além dos efeitos visuais criados pelo canhão de luz que transforma a Pirâmide de KuKulkan (El Castillo) em um telão de cinema, os efeitos sonoros também são vibrantes. Por mais que eu tente resumir aqui o conteúdo do show, não é nem 10% de assistir ao vivo.

Show começa explicando a mitologia maia sobre os mundos existentes


As estrelas formam a pirâmide com os efeitos especiais do canhão de luz


Do cosmos surge a pirâmide


Juntamente com os efeitos visuais, acontece uma narração em espanhol


É demonstrada a representação do templo existente no local antes da construção da pirâmide de Kukulkan. Aquela pirâmide mais antiga foi construída sobre um cenote (buraco que revela a água subterrânea existente no lençol freático). Supostamente ali era local de sacrifício e os corpos eram jogados no cenote após as cerimônias. Mais tarde a pirâmide é construída e a projeção mostra como ela era no seu apogeu.

Como seria o templo que existia no local antes da construção da pirâmide de Kukulkan


A projeção faz a pirâmide renascer com as cores do seu passado de glória


Corpos de vítimas de sacrifício eram jogados no cenote para o submundo


Nos equinócios de primavera e outono, a luz solar ilumina os degraus da pirâmide, projetando na parte nordeste uma série de triângulos de luz. Essa projeção é feita gradualmente, de cima para baixo, para definir o contorno da serpente emplumada de cerca de 34 metros de comprimento. No clímax do fenômeno, a luz atinge a cabeça da serpente de pedra encontrada na base das escadas. 

Reconstituição do efeito do sol nos equinócios, revelando a serpente Kukulkan


O processo leva cerca de cinco horas e a figura completa da cobra pode ser vista durante 45 minutos. Simboliza a descida do deus Kukulkan à terra para trazer fertilidade aos homens. Uma vez no chão, acredita-se que o deus-serpente viaja pelo sacbé (caminho sagrado) até o Cenote Sagrado e imerge, continuando o seu caminho através do submundo.

A descida de Kukulkan sobre a pirâmide e, ao fundo, o Templo dos Guerreiros


Os crânios tão representados pela arte maia


Depois da conquista espanhola, Chichén Itzá ficou abandonada por séculos até que fossem iniciadas as escavações arqueológicas. Uma curiosidade (que o show não explica) é que Chichén Itzá era propriedade particular até 2010 quando foi comprada pelo Estado de Yucatán. 

Efeitos especiais mostram a pirâmide em processo de deterioração devido ao abandono


Foto real da pirâmide El Castillo tirada em 1892 (não faz parte do show)


Enfim, a pirâmide como é hoje


CARNAVAL DE INTERIOR

Depois do excelente show, fui jantar na pequena cidade de Pisté que fica a 2,5 km do sítio arqueológico. Procurei um restaurante popular para economizar e achei o Restaurante Fabíola onde pude comer um prato feito de milanesa de pollo. Depois ainda tive a oportunidade de assistir um autêntico desfile de sábado de carnaval do interior do México.

Prato feito por 60 pesos mexicanos (menos de R$ 15)


Desfile de crianças e adultos fantasiados em carros articulares


MEU ROTEIRO

Anterior: EK BALAM

Roteiro completo: MISSÃO MÉXICO

Próximo: COBÁ


Comentários
0 Comentários

0 comentários :

Postar um comentário

Anterior Proxima Página inicial

Reservas na Asia

trazy.com

Promoção! Reserve aqui

Booking.com

Se inscreva no canal

Clique aqui para seguir no

Pesquise o seu destino aqui

Booking.com

Leia Também

Notícias de Viagens

Viagens pelo Mundo

Sobre o autor

Sobre o autor
Renan tem 35 anos, é carioca, mochileiro, torcedor do Botafogo, historiador e arqueólogo amador. Gosta de viajar, fazer trilhas, academia, ler sobre a história do mundo e os mistérios da arqueologia, sempre comparando os lados opostos de cada teoria. Cada viagem que faz é fruto de muito planejamento e busca conhecer o máximo de lugares possíveis no curto período que tem disponível. Acredita que a história foi e continua sendo distorcida para beneficiar alguns grupos, e somente explorando a verdade oculta no passado é que se consegue montar o quebra-cabeça do mundo.

Total de visualizações