África do Sul: Explorando o passado no Berço da Humanidade

O local onde os antepassados da raça humana surgiram e viveram


Minha última aventura na África do Sul seria chegar neste lugar que é considerado o "Berço da Humanidade" (Crandle of Humankind) devido ao grande número de achados de fósseis de antepassados da espécie humana, datados até 4,5 milhões de anos e com indícios de uso do fogo de mais de um milhão de anos. É um total de 13 sítios de escavação de fósseis e mais de 200 cavernas espalhadas em 47 mil hectares que formam essa área já declarada como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.


COMO CHEGAR?

Definitivamente não existe transporte público para chegar de Johanesburgo à área do Berço da Humanidade que fica a cerca de 40 km do centro da cidade. Os meios mais utilizados para visitar aquela área são: alugar carro, ir pedalando de bike (vi algumas pessoas fazendo isso) e o mais comum que é fechar um tour. Veja a rota neste link do Google Maps.

O começo das explorações foi nas cavernas Sterkfontein


Pesquisei algumas agências na internet, mas o valor do tour mais barato estava custando 1600 Rands (cerca de R$ 420!) incluindo os tickets de entrada. Resolvi fechar o tour através do hostel Once in Josburg e na véspera, quando eu já havia pago, uma das agências me respondeu o email deixando o tour por 1100 Rands, mas era tarde demais. Para quem quiser tentar negociar, a agência se chama Moafrika Tours e seu contato é ask@moafrikatours.com

Bilheteria das cavernas Sterkfontein


O tour dura aproximadamente 6 horas, iniciando por volta das 9h, com deslocamento até as cavernas Sterkfontain, depois segue para o Centro de Visitantes de Maropeng onde existe um imenso museu interativo, finalizando por volta das 16h. Para quem vai sem tour, ambas as atrações ficam abertas de 9h às 17h e o preço do ingresso é 165 R para Sterkfontain e 190 R o combo com Maropeng, valores de abril de 2017. Mais informações no site oficial


CAVERNAS STERKFONTEIN 

Começamos pelas cavernas, onde o motorista comprou o ingresso (incluso no pacote). Cada visitante recebe um pulseira identificadora e equipamento de proteção individual (EPI). O passeio é todo guiado e em grupo. Primeiro todos entram por um pequeno museu explicativo sobre as cavernas e os homídeos que viveram naquela região considerada O Berço da Humanidade. 

Pulseira de identificação dos visitantes


Todos recebem uma toca descartável e capacete para entrar nas cavernas


Passagem pelo museu antes de visitar as cavernas


No museu estão exibidos alguns achados daquelas cavernas. Em 1947, foi descoberto em Sterkfontein um fóssil de Australopithecus africanus apelidado de "Mrs. Ples" (2,3 milhões de anos). O achado ajudou a confirmar que uma descoberta anterior, de 1924, era de outro Australopithecus africanus, um crânio do jovem conhecido como "Taung Child".

Crânios de diversos ancestrais da humanidade


O crânio feminino bem preservado de Mrs Ples


O crânio de um jovem Australopithecus africanus chamado de Taung Child


Crânio de um Homo erectus proveniente da Indonésia, o Homem de Java 


A passagem pelo museu é curta, após isso todos os visitantes daquele horário são reunidos e o guia se apresenta para início da caminhada. O caminho que dá acesso às cavernas é uma espécie de "túnel do tempo" com placas explicativas a evolução da vida na Terra e da evolução do ser humano. No final ainda há um relógio de sol bem interessante que é demonstrado pelo guia.

Caminho até as caverna com placas explicativas da evolução


Relógio de sol que marca a hora exata de acordo com a sombra


A entrada das cavernas desce alguns metros até um corredor cercado de pedras de calcário. Todo o itinerário percorrido nos túneis tem quase 2 km, mas não pense que existem fósseis a serem observados, apenas os locais onde ele foram encontrados. As escavações continuam até hoje e já acharam cerca de 500 hominídeos, tornando Sterkfontein um dos sítios mais ricos do mundo de ancestrais do homem. 

Descida de Sterkfontein 


Entrada nas cavernas


Grandes e exóticas formações nas rochas


O guia coloca a lanterna e a pedra brilha!


Algumas passagens são bem estreitas e baixas


Uma lagoa submersa que forma um espelho entre as pedras


O caminho é quase todo forrado para a proteção do sítio


Saída do interior dos túneis


Estátua do Dr. Robert Broom, descobridor de "Mrs. Ples"


Depois da visita à rede de túneis existe um caminho suspenso externo que passa sobre algumas áreas de escavação arqueológica. O caminho segue até retornar ao local da bilheteria, onde há um restaurante para quem estiver com fome. Antes disso um funcionário recolhe de volta os capacetes.

Passarela leva até locais de escavação


Área restrita de escavação de fósseis


CENTRO DE VISITANTES DE MAROPENG

A próxima etapa do tour foi conhecer o Centro de Visitantes de Maropeng. Este é um complexo turístico com lojas, restaurantes, arte, etc., mas o imperdível disso tudo é o seu incrível museu interativo que conta a história de evolução do planeta e da raça humana. No saguão central também existe uma pequena exposição sobre dinossauros.

Entrada do Centro de Visitantes de Maropeng


Salas de exposição de fósseis de dinossauros


Lentes colocadas para observar os dentes dos dinos


O museu interativo fica no subsolo do centro de visitantes e sua entrada é pelo salão principal, começando com um passeio de barco pelos túneis, através dos 4 elementos; fogo, água, terra e ar. O engraçado é que eu fui afobado e não vi a entrada, então segui andando pelo jardim externo e acabei achando uma porta que levou ao museu. Mais tarde eu descobri que eu entrei pela saída 😣.

Parede feita de pedras achadas nos sítios arqueológicos na saída do museu


O museu mescla exposições interativas que detalham vários temas relacionados ao surgimento do planeta, ao desenvolvimento do DNA e, é claro, também fala sobre a evolução da vida na terra, a extinção e a evolução da humanidade até a sociedade moderna, já pensando no futuro. Alguns fósseis  de ancestrais da humanidade estão exibidos neste museu.

Objetos interativos que falam sobre o homem e o universo


As várias faces humanas resultados de séculos de evolução


Nossa evolução e involução


Mandela é lembrado no museu


Os crânios dos antepassados até o humano atual


Este painel mostra a evolução da humanidade ao longo de muitos anos


Os fósseis e suas supostas aparências quando vivos


Ossada de um Australopithecus 


Crânio de um Australopithecus que significa "macaco do sul"


Representação da forma dos homídeos quando existiam


RETORNO

Por volta das 15h o tour estaria finalizado. Como eu sabia que a decolagem para retorno ao Brasil era às 17h45, já levei minha mochila no tour para economizar tempo e dinheiro, combinando com o motorista para me deixar direto no Aeroporto Internacional Oliver Tambo, em Johanesburgo. Tudo deu certo e esta exploração ao "Berço da Humanidade" fecharia aquela aventura pelo sul da África.


MEU ROTEIRO

Anterior: PRETÓRIA

Roteiro completo: MISSÃO SUL DA ÁFRICA


Comentários
0 Comentários

0 comentários :

Postar um comentário

Anterior Proxima Página inicial

Reservas na Asia

trazy.com

Promoção! Reserve aqui

Booking.com

Se inscreva no canal

Clique aqui para seguir no

Pesquise o seu destino aqui

Booking.com

Leia Também

Notícias de Viagens

Viagens pelo Mundo

Sobre o autor

Sobre o autor
Renan tem 35 anos, é carioca, mochileiro, torcedor do Botafogo, historiador e arqueólogo amador. Gosta de viajar, fazer trilhas, academia, ler sobre a história do mundo e os mistérios da arqueologia, sempre comparando os lados opostos de cada teoria. Cada viagem que faz é fruto de muito planejamento e busca conhecer o máximo de lugares possíveis no curto período que tem disponível. Acredita que a história foi e continua sendo distorcida para beneficiar alguns grupos, e somente explorando a verdade oculta no passado é que se consegue montar o quebra-cabeça do mundo.

Total de visualizações