Inicio » , , » Você pratica trekking mas não sabia que seu significado vem da África

Você pratica trekking mas não sabia que seu significado vem da África

Significado dessa palavra é associado aos carros de boi do século 19


Quando ouvimos a palavra trekking, normalmente pensamos se tratar de uma palavra de origem inglesa, que significa algo como caminhar, trilhar, andar, etc. Mas o trekking tem origem sul-africana e foi absorvida pelo inglês durante a colonização no século 19.

No sul da África, em idos dos anos de 1800, uma maneira comum de falar sobre a distância de uma viagem a uma terra distante não era em milhas (ou quilômetros), mas em "treks". O significado da palavra trek era "um dia de viagem num carro de boi". No século 19, o transporte usado pelos imigrantes no vasto território das colônias sul-africanas e pelas planícies dos EUA era feito de carro de boi. A palavra trek vem do Afrikaans, a língua do sul da África que descende dos dialetos falados por colonos holandeses.

Viagem em carro de boi dos Boers


Os britânicos tomaram o controle da colônia do Cabo (atual Cidade do Cabo) em 1806 e, os descendentes dos colonos holandeses, chamados Boers, deixaram a região devido a problemas econômicos, conflitos e descontentamento com as autoridades britânicas coloniais que haviam proibido o comércio escravo, promovendo a igualdade entre brancos e não-brancos. 

De 1835 a 1843, mais de 10.000 Boers, conhecidos como Voortrekkers (os Foretrekkers, em inglês), viajaram para o norte e o nordeste como parte da Groot Trek (Grande Trek) e estabeleceram estados independentes da língua Afrikaans que foram, com o tempo, incorporadas ao império britânico e se tornaram parte da atual nação da África do Sul. Assim que os britânicos chegaram nas colônias da África do Sul e sua influência aumentou na região, muitas palavras Afrikaans se misturaram com o idioma inglês. 

Selo sul-africano retratando os "trekkers"


Eventualmente, a palavra trek começou a ser usada em outras variações do inglês, com o significado de "uma jornada ou parte de uma jornada, principalmente lenta ou difícil". 

No final do século 19, também no "velho oeste" americano, os “trekkers” ficaram conhecidos pelas viagens de carro de boi carregando todos os seus pertences, de um lado para outro, parecidos com os nômades do oriente. O definição de "trekking" como migração, mudança, viajar, “carregar a casa” é que fez com que o termo passasse a ser empregado para a atividade que praticamos hoje.

Atualmente, são classificados os seguintes tipos de trekking, de acordo com o montanhista Freddy Duclercq:

Trekking Independente – viaja sozinho, organiza, planeja a rota, escolhe o equipamento, compra as provisões, estuda o clima. A viagem é mais econômica e flexível em datas e caminhadas fora do roteiro pré-determinado. É necessário experiência para praticar o trekking independente.

Trekking Organizado – para aventureiros quem não tem experiência, e desejam se aventurar em lugares de difícil acesso e ou desconhecidos, passando a responsabilidade da organização e infra-estrutura para guias locais ou empresas especializadas.

Trekking Assistido – É um estágio intermediário entre os dois anteriores. Nesse caso, você mesmo, ao chegar no local a ser visitado, escolherá e contratará os carregadores, guias, comprará os mantimentos e demais equipamentos coletivos. Este tipo de viagem possibilita uma maior interação com os nativos, além de contribuir para a economia local. 

Trekking de Competição – Também chamado de “Enduro a pé”, é uma modalidade recente no Brasil. Semelhante ao enduro de carros de regularidade, equipes de três a seis pessoas navegam em cima de uma planilha com referências e velocidades médias pré determinadas.


por Renan Antunes


Comentários
0 Comentários

0 comentários :

Postar um comentário

Anterior Proxima Página inicial

Reservas na Asia

trazy.com

Promoção! Reserve aqui

Booking.com

Se inscreva no canal

Clique aqui para seguir no

Pesquise o seu destino aqui

Booking.com

Leia Também

Viagens pelo Mundo

Sobre o autor

Sobre o autor
Renan tem 35 anos, é carioca, mochileiro, torcedor do Botafogo, historiador e arqueólogo amador. Gosta de viajar, fazer trilhas, academia, ler sobre a história do mundo e os mistérios da arqueologia, sempre comparando os lados opostos de cada teoria. Cada viagem que faz é fruto de muito planejamento e busca conhecer o máximo de lugares possíveis no curto período que tem disponível. Acredita que a história foi e continua sendo distorcida para beneficiar alguns grupos, e somente explorando a verdade oculta no passado é que se consegue montar o quebra-cabeça do mundo.

Total de visualizações