Inicio » , , , » Grécia: A cidade de Maratona e a lenda da corrida

Grécia: A cidade de Maratona e a lenda da corrida

Uma vitória no combate que é lembrada através do esporte


Uma cidade que não estava no meu roteiro e também é desconhecida da maioria dos turistas que visitam a Grécia é Maratona, o local em que nasceu uma lenda que, mais tarde, inspiraria uma das corridas mais tradicionais que existem.


COMO CHEGAR?

Fui de carro a partir de Corinto e foi bem rápido e tranquilo chegar. Para quem sai de Atenas, existe um ônibus KTEL a cada hora, saindo na estação de ônibus que fica ao norte do Museu Arqueológico de Atenas. Seguindo a Av. Patission, está na quarta rua à direita, na esquina da Areos Park. O ônibus sai no quiosque perto de um edifício verde e demora 1 hora até Maratona.

Estradas arborizadas e tranquilas em direção a Maratona


LAGO DE MARATONA E SUA REPRESA

Uma das primeiras atrações que se passa a caminho da cidade é o Lago de Maratona e sua represa. Sem dúvida a vista é muito bonita, tendo várias famílias fazendo pique nique e churrasco nos campos próximos ao lago para comemorar o domingo de Páscoa Ortodoxa. Para cruzar a represa, só se pode passar um carro por vez, sendo controlado por um semáforo.

Família fazendo um pique nique de Páscoa


O Lago de Maratona vale uma parada para fotos


Construções históricas e muita natureza


A passagem de veículos é por cima da barragem do lago


Paredão que represa as águas e formam a lagoa


MARATONA E A LENDA

A pequena cidade de Maratona fica a aproximadamente 40 Km de Atenas, sendo que pode chegar a 50 Km dependendo da estrada que utilizar, algo que não havia no passado. 

No passado, só havia um campo onde foi travada uma batalha histórica entre gregos e persas


Diz a lenda que no ano de 490 a.C., quando os atenienses partiram para a planície de Maratona para travar combate com os persas, suas mulheres ficaram apreensivas pelo resultado porque os inimigos haviam jurado que, se ganhassem a batalha, chegariam em Atenas onde estuprariam as mulheres e matariam as crianças. Com tal ameaça, os gregos ordenaram a suas esposas para, se não recebessem a notícia da sua vitória em 24 horas, matar seus filhos e, em seguida, suicidarem-se.

A tocha olímpica, folhas de louro e a faixa com o nome da cidade


Estádio esportivo de Maratona


Os gregos ganharam a batalha, mas isso levou mais tempo do que haviam pensado, de modo que temeram que as mulheres cumprissem a ordem. Para evitar isso, o general grego Milcíades ordenou a seu melhor corredor, o soldado e atleta Feidípedes, que corresse até Atenas, a cerca de 40 km dali, para levar a notícia. Feidípedes correu essa distância o mas rápido que pôde que, ao chegar, conseguiu dizer apenas "vencemos", e caiu morto pelo esforço.

Representação de Feidípedes levando a mensagem até Atenas


A pira olímpica do estádio


O local do campo de batalha é hoje uma cidade com um excelente estádio. Para os atletas que amam correr e competir as corridas de rua, outra atração imperdível é o Museu da Corrida, que funciona de terça a sexta de 09h00 às 15h00 e de sábado a domingo de 10h00 às 14h00, e possui um acervo de troféus, medalhas e sapatilhas de corrida antigas.

Nas ruas estão as marcações da maratona clássica: Maratona x Atenas


CEMITÉRIO HELÁDICO E MUSEU ARQUEOLÓGICO

Na área de Tsepi, periferia de Maratona, foi encontrado um dos cemitérios mais impressionantes da Idade do Bronze . Eram túmulos de famílias e a maioria deles continha ofertas feitas à mão (kterismata) de estilo das Cíclades, principalmente de cerâmica, mas feitos de outros materiais também. Seguindo pela rua em frente do cemitério, se chega no Museu Arqueológico de Maratona, onde está também o Túmulo dos Platanos. O ticket do museu é 3 euros e funciona no inverno: terça a domingo 8h30 às 15h00 e no verão: segunda a sexta 8h00 às 20h00 / sábado e domingo 8h00 às 15h00.

Heládico Precoce (2650-2050 / 2000 a.C.) e Heládico Médio (2000 / 1900-1550 a.C.)


Heládico é um termo arqueológico moderno para identificar uma seqüência de períodos que caracterizam a cultura da Grécia antiga durante a Idade do Bronze. O termo é comumente usado em arqueologia e história da arte . Foi destinado a complementar a dois mandatos paralelos, " das Cíclades ", identificando a seqüência com referência ao Mar Egeu  e " Minoanos ", com referência à civilização de Creta.

De 1970 a 1974, foram identificados 68 túmulos


TROFÉU DA BATALHA

Seguindo as placas na saída da cidade que indicam "Trophy of the Battle" se chega num local isolado na periferia de Maratona, um pouco mal cuidado, mato alto, sem vigia, sem controle de acesso, etc., mas que marca o local do último confronto entre atenienses e persas, trazendo a vitória para Atenas. Próximo do "troféu" existe uma pequena igreja.

Capela que se encontra fechada


Para Donald Olson, astrônomo da Universidade do Texas, a batalha de Maratona aconteceu em 12 de agosto de 490 a.C. Ele ainda sugere que foi o calor do verão no mês de agosto que colocou o mensageiro Feidípedes em estado de exaustão, o que explicaria seu colapso logo após o fim do trajeto.

O troféu marca o local onde tombou o último persa, fazendo os atenienses vitoriosos


SANTUÁRIO DOS DEUSES EGÍPCIOS

Ao sul de Maratona está o grande templo dos deuses egípcios que foi feito durante o período romano em uma pequena ilha no centro do pântano, onde havia um complexo de banhos. A ilha era ligada ao continente por canais, com referência à vegetação exuberante do Delta do Nilo.

O Santuário fica próximo à praia, na região de Brexiza


Grandes palmeiras e um calçadão em frente ao mar


No final da rua Nireos que passa em frente à praia está essa igrejinha. O Santuário está atrás


O santuário possuía varandas magníficas imitando a forma de colunas egípcias. Em cada patamar interno e externo, havia quatro bases de estátuas, cada uma delas representado Isis num estado diferente. As estátuas originais se encontram expostas no Museu Arqueológico de Maratona, além das lâmpadas utilizadas em rituais sagrados, com uma representação de Isis, Sarapis e símbolos astrológicos.

Ruínas do Santuário aos deuses egípcios


Cópia da estátua de Isis. A original se encontra no museu


TÚMULO DOS ATENIENSES

O mais importante dos monumentos restantes na planície de Maratona,, que cobre os ossos dos 192 atenienses que caíram na batalha de Maratona. Sob o solo, as escavações revelaram os ossos cremados.

Do lado de fora do túmulo, uma estátua relembra os combatentes de Atenas


Soldado grego que combateu em Maratona


Dentro da tumba, vestígios de festa também foram encontrados. De acordo com as tradições, os vencedores recolheram os mortos do campo de batalha, colocando-os em uma pira funerária para realizar o "perideipnon" (o banquete funeral) em honra de sua bravura. 

 Possui 9 m de altura e 50 m de diâmetro


Para entrar na área do túmulo, são cobrados 3 euros


MAPA DE MARATONA

Abaixo estão marcados os pontos das principais atrações de Maratona para facilitar achá-los:



MEU ROTEIRO

Anterior: CANAL DE CORINTO

Roteiro completo: MISSÃO GRÉCIA

Próximo: PORTO DE PIRAEUS


Comentários
0 Comentários

0 comentários :

Postar um comentário

Anterior Proxima Página inicial

Reservas na Asia

trazy.com

Promoção! Reserve aqui

Booking.com

Se inscreva no canal

Clique aqui para seguir no

Pesquise o seu destino aqui

Booking.com

Leia Também

Viagens pelo Mundo

Sobre o autor

Sobre o autor
Renan tem 35 anos, é carioca, mochileiro, torcedor do Botafogo, historiador e arqueólogo amador. Gosta de viajar, fazer trilhas, academia, ler sobre a história do mundo e os mistérios da arqueologia, sempre comparando os lados opostos de cada teoria. Cada viagem que faz é fruto de muito planejamento e busca conhecer o máximo de lugares possíveis no curto período que tem disponível. Acredita que a história foi e continua sendo distorcida para beneficiar alguns grupos, e somente explorando a verdade oculta no passado é que se consegue montar o quebra-cabeça do mundo.

Total de visualizações