Grécia: 3 dias na Ilha de Creta

A ilha que guarda o segredo da civilização minóica


Encerrando minha viagem pela Grécia, cheguei em seu extremo sul: a Ilha de Creta. Esta é a sua maior ilha e um lugar pouco visitado pelo turismo de massa que costuma invadir Santorini, Mykonos, etc. Atualmente, a principal cidade da ilha é sua capital Heraklion, mas antigamente, Knossos era o centro da civilização minóica, uma das mais desenvolvidas do passado mas foi destruída depois de um tsunami causado pela erupção em Santorini. Alguns especialistas relacionam este acontecimento à lenda de Atlântida, supondo que esta seria em Creta. Passei três dias explorando as belezas e mistérios do passado da civilização minóica que povoou a ilha.


COMO CHEGAR?

Existem 2 formas de chegar na ilha, uma delas é pelo ar, ou seja, de avião a partir de Atenas. Dura cerca de 1 hora de viagem e pode ser feita pela empresa Aegean Airlines (essa foi minha opção para retornar ao continente). O outro meio de chegar é marítimo. Fui pelo mar, um mar revolto em que o ferry rápido parecia que iria virar. A viagem durou quase quase 2 horas vindo de Santorini.

Lancha rápida que me levou de Santorini a Creta


Creta é uma ilha muito grande, com 260 km na direção leste-oeste e 60 km na direção norte-sul. As principais cidades são Heraklion (leste da ilha), Rethimo (meio da ilha) e Chania (oeste da ilha). A cidade de Chania também possui aeroporto internacional. Heraklion, porém, concentra as melhores atrações históricas além de ter ônibus para muitos pontos da ilha. Outra opção (para quem tem grana sobrando) é usar o táxi para viajar pela ilha.

Tabela de valores (euro) da corrida de táxi em Heraklion


CHEGADA EM HERAKLION

Ao reservar um hotel em Heraklion, considerei a proximidade com o porte e com o centro histórico. Por isso, ao desembarcar na ilha, segui caminhando a procura dele, passando por toda a orla e já tendo as primeiras impressões do que eu iria explorar nos próximos dias. Fui brindado pelo pôr-do-sol espetacular de Creta.

Depois do porto de desembarque, está o porto antigo veneziano.


Cheguei em Creta às 19h30 e o sol ainda estava se pondo


As luzes da noite começavam a ser acesas nas cidades litorâneas da ilha


No porto veneziano está o Forte Koules iluminado à noite


Para onde se olha em Heraklion, sempre há um vestígio do passado e um sítio arqueológico


Não encontrei nenhum hostel para reservar, apesar de, mais tarde, ter achado o Heraklion Youth Hostel, na rua Lordou Vironos nr 5. O jeito foi reservar o Kastro Hotel pelos próximos 3 dias, com um quarto cheio de estilo moderno e um café delicioso.

Quarto cheio de truques: um dos botões projeta uma mensagem referente à cama


Fui dar uma volta pelo centro histórico a noite e percebi que Heraklion era um lugar diferente de tudo que eu tinha visto na Grécia, na verdade, quase não se via turistas estrangeiros apesar de ser um lugar com uma beleza arquitetônica medieval. A Praça dos Leões, onde está a fonte com os leões de Veneza, é movimentada e cheia de restaurantes e bares.

Uma fast food de souvlak é a dica para comer bem e barato



PRIMEIRO DIA


PALÁCIO DE KNOSSOS

A missão do primeiro dia em Creta seria chegar no Palácio de Knossos, local da lenda do labirinto do Minotauro na mitologia grega. Knossos fica a 10 Km de Heraklion e suas ruínas podem ser visitadas pegando um ônibus no terminal. Era dia 18 de abril, Dia Internacional do Monumento, a entrada foi de graça!

Restaurado em parte, o palácio é a origem da lenda do labirinto do Minotauro


MUSEU ARQUEOLÓGICO DE HERAKLION

No retorno do sítio arqueológico de Knossos, desci do ônibus já perto do museu. A promoção do Dia Internacional dos Monumentos também estava valendo para o museu arqueológico, entrei de graça! Meu objetivo ao visitar este museu era ver de perto o Disco de Phaestos, uma peça de argila com caracteres jamais decifrados e que suspeita-se ser uma escrita antiga que se perdeu a tradução.

Visitei o museu só por causa do Disco de Phaestos, mas fiquei impressionado com o que vi


OUTROS MUSEUS

Os demais museus da cidade não participaram da gratuidade, talvez por serem privados, sei lá. Além do museu arqueológico, existem mais dois museus relevantes em Heraklion: 

Museu Histórico de Creta, funciona de segunda a sábado de 09h00 às 17.00 (abr-out). Aos domingos e feriados está fechado. A entrada custa 5 euros.

Museu de História Natural, funciona de segunda a sexta das 09h00 às 20h00, e  sábado/domingo de 10h00 às 20h00. A entrada custa 9 euros.

Os dinossauros são a "grande" atração do Museu de História Natural de Creta



SEGUNDO DIA


PALÁCIO DE PHAESTOS

No segundo dia parti para tentar chegar num local distante da ilha de Creta, onde estão as ruínas do segundo maior palácio minóico (o primeiro é Knossos) de toda a ilha. O objetivo maior de chegar lá e que aquele é o local onde foi encontrado o misterioso Disco de Phaestos que se encontra no museu arqueológico. Para chegar lá, fui caminhando até o segundo terminal de ônibus da cidade que fica do lado de fora das muralhas venezianas.

Para chegar no terminal KTEL Mesaras é preciso caminhar por 20 min desde o centro, passando pelas muralhas


O Leão de Veneza ainda está gravado nas paredes


O Terminal KTEL Mesaras de onde saem os ônibus para Phaestos, Matala, Agia Pelagia, etc


Depois de 50 Km no ônibus da empresa KTEL, enfim eu chegava na localidade de Phaestos. A exploração detalhada naquele sítio arqueológico está no post específico.

Explorando as ruínas do Palácio de Phaestos



TERCEIRO DIA


PORTO ANTIGO VENEZIANO

Comecei o dia explorando o antigo porto da época do domínio veneziano. Somente barcos de pescadores usam essa região da cidade

As boas vindas do Porto de Heraklion


A colossal arquitetura veneziana em frente ao porto


Barquinhos no Porto Antigo


Ao fundo a moderna Heraklion contrasta com o passado


FORTE VENEZIANO KOULES

Entrando pelo Porto Antigo está a fortaleza Veneziana de Koules. Os venezianos chamavam de "Forte do mar" (Castello a Mare ou Rocca a Mare), mas hoje ele é conhecido pelo seu nome turco, Koules, uma derivação de Su Kulesi (torre de água). É um dos monumentos mais conhecidos da cidade, e o símbolo de Heraklion. É aberto para visitação de 8h30 às 15h00 no inverno e 19h00 no verão, todos os os dias, exceto segundas-feiras.

A fortaleza estava fechada para reforma


Agiou Markou Leão (Leão de São Marcos), o emblema de Veneza


Lendas  contam que os rebeldes de Creta eram torturados em seus quartos úmidos e escuros


Os arredores da fortaleza são áreas de lazer e pesca da população local


CENTRO HISTÓRICO

O centro de Heraklion possui diversas ruas com construções históricas, bares, restaurantes e lojas de todos os estilos, desde lembranças/artesanatos até grifes internacionais como Zara e H&M. Apesar de eu ter passado por essas ruas ao longo dos dias que estava em Creta, tirei um tempo para visitar com mais atenção e fotografar. 

Rua 25is Avgoustou (25 de agosto), a rua de pedestres que liga o Porto Antigo à praça dos leões


A Praça dos Leões é o ponto central do centro histórico. Tem esse nome por causa da Fontana Morosini, foi o trabalho de Francesco Morosini. O trabalho levou 14 meses para ser concluído e a fonte foi inaugurada em 25 de abril de 1628, na festa de São Marcos, padroeiro de Veneza. Ao cair da noite, a Praça dos Leões torna-se o ponto de encontro para grupos de jovens.

Sabe-se que havia uma estátua de Poseidon sobre a Fontana Morosini, mas não se sabe o seu destino


O leões são o símbolo de Veneza


Próximo da praça dos leões está a construção mais bela do centro histórico: a Loggia Veneziana foi construída em 1626-28. Esta é a quarta e última Loggia construído durante o período de domínio veneziano, as demais não existem mais. Era um edifício público de em Heraklion, construído como um local de encontro para os nobres, governantes e senhores feudais, onde foram tomadas as decisões econômicas e comerciais.

Também foi construída por Francesco Morosini, o mesmo autor da fonte dos leões


A Loggia era o centro da vida administrativa e social local


PRAIA DE BALI

Uma das praias mais famosas de Creta é Bali. Não, não é a mesma Bali que existe na Indonésia, é claros, mas é um lugar bem agradável, mesmo no inverno para se tomar uma cerveja a beira-mar. Fica a 1 hora de Heraklion.

No último dia fui conhecer uma das praias mais famosas de Creta


CATEDRAL DE SÃO MINAS

Ao retornar para Heraklion, fui visitar o último ponto de interesse na minha viagem: A Catedral de São Minas (Agios Minas, em grego) que é o santo padroeiro de Heraklion e seu dia de festa, em 11 de Novembro, é um feriado público. Em frente à Catedral existe uma grande praça pavimentada e a antiga igreja de São Minas ao lado da catedral.

Praça ao lado direito da grande catedral


São Minas foi declarado o santo padroeiro de Heraklion durante o período turco. A diferença da religião entre os cretenses e turcos muçulmanos levou a atos de violência contra os cristãos. Diz a lenda que na Páscoa de 1826, quando os cristãos se reuniram na igreja, uma multidão muçulmana conspirou para matá-los. Um oficial a cavalo, assemelhando-se a um feroz guerreiro, interveio, acalmando e dispersando a multidão. Os cristãos atribuíram, pela sua aparência, a um milagre de São Minas, acreditando que era ele.

Busto de um líder religioso ortodoxo


Foi então que eu observei algo familiar se formando por ali. Um grupo de pessoas começou a se reunir para uma roda de capoeira. Era uma equipe brasileira promovendo batizado e troca de cordas para os alunos gregos. Quem diria que eu encontraria a capoeira na ilha de Creta...

Um grupo começou a formar uma roda de capoeira em frente à igreja antiga de São Minas


Mestre Capixaba em Heraklion (em português)


Foto aérea da Catedral de São Minas (1), a antiga igreja de São Minas (2), Agia Aikaterini (3) e o ponto de ônibus para o aeroporto (4)


DESPEDIDA DE CRETA

No final do dia também acabava minha passagem por Creta, na verdade, acabava minha viagem pela Grécia. O destino agora seria Paris, França, num vôo de conexão longa. Mas a aventura não acabara ainda. Para chegar no aeroporto eu não gastaria com táxi, então descobri que existe o ônibus municipal que circula até o aeroporto passava no ponto em frente à Catedral de São Minas (foto acima). Peguei o ônibus número 1 (1,50 euros) e cheguei tranquilo para o embarque no aeroporto.

Chegada no Aeroporto de Heraklion


Creta produz um dos azeites de melhor qualidade do mundo. Havia um stand no aeroporto lembrando isso


Curiosidade: O vôo da Aegean Airlines não possuía a fileira de assentos número 13!


MAPA DE HERAKLION



MEU ROTEIRO

Anterior: THERA ANTIGA

Roteiro completo: MISSÃO GRÉCIA

Próximo: PALÁCIO DE KNOSSOS


Comentários
0 Comentários

0 comentários :

Postar um comentário

Anterior Proxima Página inicial

Reservas na Asia

trazy.com

Promoção! Reserve aqui

Booking.com

Se inscreva no canal

Clique aqui para seguir no

Pesquise o seu destino aqui

Booking.com

Leia Também

Notícias de Viagens

Viagens pelo Mundo

Sobre o autor

Sobre o autor
Renan tem 35 anos, é carioca, mochileiro, torcedor do Botafogo, historiador e arqueólogo amador. Gosta de viajar, fazer trilhas, academia, ler sobre a história do mundo e os mistérios da arqueologia, sempre comparando os lados opostos de cada teoria. Cada viagem que faz é fruto de muito planejamento e busca conhecer o máximo de lugares possíveis no curto período que tem disponível. Acredita que a história foi e continua sendo distorcida para beneficiar alguns grupos, e somente explorando a verdade oculta no passado é que se consegue montar o quebra-cabeça do mundo.

Total de visualizações