Grécia: Acrópole de Atenas, o mais famoso sítio grego

O cartão postal da Grécia ainda surpreende


A principal atração de Atenas é sem dúvida a sua Acrópole, local onde concentra os principais templos que resistem ao tempo e contam a história do passado da humanidade. A entrada custa 12 euros (abril de 2015) e dá direito ao acesso a outros monumentos (Ágora, Museu Arqueológico de Kerameikos, Biblioteca de Adriano, Kerameikos, Museu da Ágora, Templo de Zeus Olímpico, Ágora Romana e encostas norte e sul da Acrópole). Entrei pelo Teatro de Dionisio, um dos acessos para a Acrópole, que é o caminho mais perto da estação de metrô Acropolis.

Acesso a partir do Teatro de Dionisio


A palavra Acrópole refere-se ao topo de uma cidade. Com a intenção de melhorar a defesa, as cidades eram construídas em elevações naturais, de preferência com bordas íngremes. Com o tempo, esta área elevada tornou-se o núcleo de desenvolvimento e crescimento urbano. Devido à localização privilegiada, a Acrópole abriga os edifícios mais importantes como os templos.


INFORMAÇÕES ÚTEIS

Aberto de 08h00 às 20h00 todos os dias, exceto nas seguintes datas: 01 de janeiro (fechado), 06 de janeiro (08h00-15h00), Shrove Segunda-feira (08h00-15h00), 25 de março (fechado), Sexta-feira Santa (fechada até 12h00), Sábado Santo (08h00-15h00), 01 de maio (fechado), Domingo de Páscoa (fechado), segunda-feira de páscoa (08h00-15h00), Holy Spirit Day (08h00-20h00), 28 de outubro (08h00-15h00), 25 de dezembro (fechado) e 26 de dezembro (fechado).

Mapa da Acrópole de Atenas (clique para ampliar)


Entrada gratuita nos dias: 06 de março (em memória de Melina Mercouri), 5 de Junho (Dia Internacional do meio ambiente), 18 de abril (Dia Internacional de Monumentos), 18 de maio (Dia Internacional dos Museus), a última semana de setembro (Jornadas Europeias do Património), todo primeiro domingo de 1 novembro/31 março e 28 de outubro


ODEON DE HERODES ATTICUS

O Odeon fica no nível inferior e está localizado próximo a entrada da Acrópole pelo caminho do Teatro de Dionisio. Construído em 161 d.C. para a realização de concertos musicais, o Odeon foi construído por ordens de Tiberios Claudios Herodes Atticus em memória de sua falecida esposa.

Vista de cima do Odeon


 Foi utilizado para apresentações musicais, que começaram no ano 446. C. 


PROPYLAEA

Construída entre 437 e 432 a.C. Era um edifício central retangular composto por colunas dóricas que marcaram o acesso de cinco portas com diferentes funções, e duas asas laterais

Pequeno pilar em frente à Propylaea


Ao lado direito de quem entra está o Templo de Athena Nike construído em 420 a.C para comemorar a vitória dos gregos sobre os persas na batalha de Salamina. O pequeno templo erguido em estilo jônico abrigava uma imagem de Athena Nike, símbolo da vitória.

Entrada principal da antiga Acrópole


PARTHENON

Construído entre os anos 477 e 432 a.C. O imponente edifício foi criado para abrigar uma escultura colossal da deusa Atenas em madeira, marfim e ouro, que tinha uma altura de doze metros. Este é o símbolo da Acrópole de Atenas e está passando por um trabalho de restauração que nos faz refletir sobre a construção desse "megatemplo" numa época em que não existiam guindastes, andaimes e computadores para cálculos de engenharia. 

A construção do templo antigo teria demorado 15 anos


No início do século XIX, o embaixador britânico em Constantinopla, Thomas Bruce Elgin, decidiu retirar a maior parte da decoração do monumento e levar para o Museu Britânico, onde ainda é exibido, sendo uma das coleções mais importantes do museu hoje. A fachada ocidental do Parthenon é preservada relativamente intacta.

O lado ocidental do templo


Foi projetado com ligeiras correções a fim de compensar os efeitos ópticos de perspectiva, isto é, todos as linhas aparentemente retas, na verdade, foram esculpidas ligeiramente curvas, para criar mais efeito harmônico. Engenharia nota 10! E hoje em dia ainda se houve falar em erro de engenharia na colocação dos trilhos do bondinho de Santa Teresa, no Rio. Acham mesmo que o povo é trouxa no Brasil!

Templo construído sobre outro mais antigo para comemorar a vitória sobre os persas


Esculturas da faixada ocidental


O templo estava bem preservado desde a antiguidade até 1687, quando os turcos usaram como uma loja de pólvora durante a ocupação veneziana. Uma das bombas de Veneza caiu no Parthenon e causou uma enorme explosão que destruiu grande parte do edifício preservado em bom estado até então.

A fachada principal é orientada para o leste, o ponto onde o sol nasce


Trabalho faraônico com guindastes. Como os antigos faziam?


PERRENGUE PELA BANDEIRA

E quando tudo parecia tranquilo, saquei minha bandeira do Brasil que levo para o mundo todo. Tirei uma foto com uma câmera e troquei para tirar outra foto com a outra câmera. Logo depois ouço um apito e se aproxima um guarda dizendo que não o era autorizado tirar foto com bandeira de outros países. Eu já havia passado por isso no Complexo de Gizé, no Egito.

Foto-troféu com a bandeira do Brasil no Parthenon


Mais uma vez me vi na situação de ser coagido a apagar a foto da máquina. Isso é algo que gera revolta, principalmente por não ter placas informando sobre isso. Eu não entendi até hoje o motivo disso. Será que eles pensam que fotogravar uma bandeira significa que o Parthenon se tornaria propriedade brasileira? E se eu estivesse com a camisa do Brasil? Mas, diferente do Egito, dessa vez eu havia tirado foto com duas máquinas diferentes e só apaguei de uma e o guarda não se ligou. 

A única bandeira permitida é a da Grécia, como essa gigante no Belvedere


ACRÓPOLE: O MELHOR MIRANTE DE ATENAS

As atrações da Acrópole não param em seus monumentos. Lá de cima dá para ter um ângulo 360 graus da cidade de Atenas e é, sem dúvida, seu melhor mirante.

Da Acrópole se pode ver a imensidão da capital grega


Direção do porto de Piraeus de onde saem os ferries para as ilhas gregas


Dessa altura dá para perceber que os atenienses tinham posição privilegiada para combater os invasores estrangeiros que se aventuravam nessas terras e mares.

Vista quase aérea do Odeon de Herodes Atticus


Vista do templo de Hefestos na Ágora


ERECTHEION

Templo jônico construído entre os anos 420 e 406 a.C no lugar mais sagrado da Acrópole. A parte mais impressionante do Erectheion é a cobertura da galeria que é apoiada com a ajuda das cariátides, aspecto feminino, com seis colunas que sustentam o telhado do templo. São apenas cópias dos originais preservados no Museu da Acrópole de Atenas.

Erectheion em seu lado ocidental


Porta de entrada no templo


O Templo ainda está de pé entre outras ruínas


Cópia das cariátides sustentam o teto do templo


CURIOSIDADES

Detalhes curiosos da arquitetura da antiga Acrópole podem ser observados em cantos menos populares. Um exemplo encontrado na diagonal esquerda do Parthenon, entre ruínas de mármore, são esculturas em baixo relevo que lembram aquelas existentes em Tiahuanaco, na Bolívia. Dentre elas o famoso Portal do Sol que também possui esse estilo.

Esculturas na Acrópole lembram outras pelo mundo


Portal do Sol em Tiahuanaco, Bolívia, esculpido em estilo semelhante


Teriam os gregos alguma ligação com Puma Punko, na Bolívia?


Outro detalhe percebido são os grampos de metal usados na reforma de monumentos quebrados. Apesar de tosca, esta técnica foi muito usada na antiguidade para unir blocos de pedra.

Degraus "grampeados"


CONTINUANDO A EXPLORAÇÃO

Depois de sair da Acrópole a exploração continua em direção Oeste, pela Colina Aeropagus e a Ágora de Atenas, um local que concentrava a vida política e social da antiga cidade.

Saída da Acrópole em direção à Colina Aeropagus


MEU ROTEIRO

Anterior: TEATRO DE DIONÍSIO

Roteiro completo: MISSÃO GRÉCIA

Próximo: ÁGORA DE ATENAS



2 comentários :

Anterior Proxima Página inicial

Reservas na Asia

trazy.com

Promoção! Reserve aqui

Booking.com

Se inscreva no canal

Clique aqui para seguir no

Pesquise o seu destino aqui

Booking.com

Leia Também

Notícias de Viagens

Viagens pelo Mundo

Sobre o autor

Sobre o autor
Renan tem 35 anos, é carioca, mochileiro, torcedor do Botafogo, historiador e arqueólogo amador. Gosta de viajar, fazer trilhas, academia, ler sobre a história do mundo e os mistérios da arqueologia, sempre comparando os lados opostos de cada teoria. Cada viagem que faz é fruto de muito planejamento e busca conhecer o máximo de lugares possíveis no curto período que tem disponível. Acredita que a história foi e continua sendo distorcida para beneficiar alguns grupos, e somente explorando a verdade oculta no passado é que se consegue montar o quebra-cabeça do mundo.

Total de visualizações