Travessia da Serra dos Órgãos: Como planejar?

Dados para a travessia Petrópolis x Teresópolis


A origem do nome Serra dos Órgãos vem da impressão dos primeiros portugueses que vislumbraram a serra a partir da Baía de Guanabara. Eles associaram a formação aos tubos ordenados de um órgão, instrumento musical que orna a maioria das catedrais europeias.

Croqui do caminho da travessia (clique para ampliar)



A travessia tradicional do Parque Nacional da Serra dos Órgãos (PARNASO) se inicia pela portaria de Petrópolis. O tempo médio é de 03 dias, sendo o primeiro pernoite no acampamento dos Castelos do Açu e o segundo pernoite no acampamento da Pedra do Sino. No meio do terceiro dia se chega na portaria de Teresópolis.


COMO CHEGAR NO PARQUE NACIONAL DA SERRA DOS ÓRGÃOS?

Sede Petrópolis:

A portaria da Sede Petrópolis fica no Bairro do Bonfim, em Corrêas, Petrópolis. O acesso terrestre principal é feito pela BR 040, que liga o Rio de Janeiro (RJ) a Juiz de Fora (MG). Do centro de Petrópolis até a portaria, o acesso é através da Estrada União-Indústria, que margeia o Rio Quitandinha. Deve-se tomar o acesso do Distrito de Corrêas.

Para quem vem de Teresópolis o acesso é através da Rodovia BR-393 (Teresópolis-Itaipava). Chegando-se a Itaipava toma-se a direção do Centro de Petrópolis até o Distrito de Corrêas.
A partir de Corrêas deve-se seguir as indicações do Bairro Bonfim. O acesso é feito por estrada de terra e trechos ruins de asfalto e paralelepípedo. A portaria do parque é a última construção na área mais alta do bairro.

De ônibus a melhor opção a partir do Centro de Petrópolis é tomar um ônibus para o Terminal de Corrêas. De lá existem duas linhas que atendem ao Bonfim - a linha 611 (Bonfim) que tem ponto final a cerca de 1 Km da portaria e a linha 616 (Pinheiral) que chega mais perto, até a Escola Rural do Bonfim. Este último sai a cada uma hora.
Existe também a opção rápida de pegar um táxi (Rodoviária – Entrada do Parque) por cerca de R$ 80,00.

Endereço: Estrada do Bonfim, s/n – Corrêas – Petrópolis
Telefax: (24) 2236-0475

Portaria do PARNASO em Petrópolis


Sede Teresópolis:

A entrada principal do Parque Nacional da Serra dos Órgãos fica na área urbana de Teresópolis, na Avenida Rotariana s/nº (que interliga a BR 116 Rio-Bahia, na altura do km 89,5 à cidade), com acesso bem sinalizado. A entrada do parque fica ao lado da ponte sobre o Rio Paquequer, na entrada da cidade, próximo ao Mirante do Soberbo e ao Portal da Cidade.

Na BR 116, sentido Rio-Teresópolis, na altura de Magé, existe a praça do pedágio administrado pela CRT, com cobrança bidirecional. Há cobrança de pedágio também no sentido Teresópolis-Magé-Teresópolis.

Endereço: Av. Rotariana, s/n – Alto – Teresópolis
Telefax: (21) 2152-1100 ou 2152-1120

Portaria do PARNASO em Teresópolis


Sede Guapimirim:

A Sede Guapimirim está localizada no início da subida da serra - Km 98,5 da BR 116, a 74 km do Rio de Janeiro. A entrada está à direita da rodovia (sentido Teresópolis) e é bem sinalizada.

O acessoa a partir do Rio de Janeiro se dá pelas rodovias BR-040 (Rio-Petrópolis ou Rio-Juiz de Fora) e BR-116. Na BR 116, sentido Rio-Teresópolis, na altura de Magé, existe a praça do pedágio administrado pela CRT, com cobrança bidirecional.

Endereço: Estrada Rio-Petrópolis (BR-116), Km 98 – Barreira – Guapimirim
Telefax: (21) 3633-1898


COMO CHEGAR EM PETRÓPOLIS DE ÔNIBUS

Para chegar de ônibus, a partir do Rio de Janeiro, existe a possibilidade de embarcar no centro da cidade (Terminal Menezes Cortes) e na rodoviária (Terminal Rodoviário Novo Rio). Seguem as informações abaixo sujeiras à mudanças:

Estação Rodoviária - Terminal Rodoviário Novo Rio
Horários – Diariamente, com saídas a cada 15 minutos. À noite a partir das 21h / 21h20min / 21h40min / 22h / 22h30min / 23h / 23h58min
Empresa – Única / Fácil
Telefone – (21) 2263-8792

Estação Rodoviária - Terminal Rodoviário Menezes Côrtes
Horários - De segunda a sexta: 11h15min / 11h45min / 12h10min / 13h / 13h30min / 14h30min / 15h / 15h30min / 16h / 16h30min / 16h50min / 17h10min / 17h30min / 17h40min / 17h55min / 18h10min / 18h40min / 18h55min / 19h10min / 19h30min / 20h/ 20h30min / 21h
Empresa - Única / Fácil
Telefone – (21) 2533-5414

A compra das passagens podem ser realizadas nos pontos de venda da Empresa Única também nos seguintes locais do Rio de Janeiro:
Duque de Caxias: Rodoviária de Caxias - Tel (21) 2771-4620
Nova Iguaçú: Rodoviária de Nova Iguaçú - Tel (21) 2767-8329
Niteroi: Rodoviária de Niteroi - Tel (21) 2717-2431
Rodoviária de Campo Grande - Tel (21) 2413-0447
Viaduto Negrão de Lima - Agência Madureira - Tel (21) 3390-5804
Santa Cruz da Serra (Pé da Serra)- Tel (21) 2679-1545
Cabo Frio: Rodoviária de Cabo Frio - Tel (22) 2647-7001


PREÇOS E HORÁRIOS

O horário de funcionamento das bilheterias é de 8:00 às 17:00, diariamente, mas a entrada pode ser feita de 6:00 às 22:00. Confira aqui a tabela de preços no site do PARNASO (entrada, diária, camping, etc).

Em cada portaria tem uma placa com os preços, horários, regras e informações


10 INFORMAÇÕES ÚTEIS PARA A TRAVESSIA

1) O Parque Nacional da Serra dos Órgãos compreende uma área de 20.030 hectares nos municípios de Petrópolis, Teresópolis, Guapimirim e Magé.

2) O Parque possui melhor estrutura nas portarias de Petrópolis e Teresópolis, justamente nos pontos de início e término da travessia tradicional. A portaria de Teresópolis possui capacidade para até 270 carros estacionados, já a portaria de Petrópolis não possui estacionamento para veículos.

3) Para a trilha da travessia Petrópolis x Teresópolis, devido as suas particularidades, se recomenda a contratação de um guia ou condutor. Caso o grupo não esteja acompanhado por um profissional, um dos membros do grupo deverá se responsabilizar por conhecer o caminho e as regras de uso público do Parque. Porém, todas as trilhas e atrativos podem ser visitados sem o acompanhamento de guias.

4) Atualmente, os locais autorizados para acampamento são apenas dois: No Abrigo do Açu e no Abrigo da Pedra do Sino. Para quem não quer arriscar a travessia completa, existe a possibilidade de fazer a trilha até um desses abrigos onde fica um guarda-parque e, além do camping com toda infraestrutura como banheiro e água potável, ainda possui um chalé para quem busca mais conforto (falarei mais de cada abrigo no relato da travessia). 

5) A melhor época do ano para se fazer a travessia é no inverno, assim como na maioria dos locais de montanha: O verão é a época que mais se passa frio devido às chuvas constantes se o inverno é a estação seca, fazendo calor pela manhã. A noite, porém, a temperatura fica abaixo de zero, mas tudo suportável com bons equipamentos. O parque tem limite de visitantes, então é bom chegar cedo em “dias de rush”.

6) Por falar em equipamento, é essencial levar o isolante térmico e uns 10 m de corda para auxiliar na descida de algumas pedras, principalmente quando estão molhadas.

7) Durante a travessia, existem poucos pontos de água confiável. Atentar para a água corrente. No inverno com as poucas chuvas, alguns pontos de água estão secos, mas nada que dificulte a travessia por falta de água.

8) A trilha da travessia não é bem balizada, principalmente no trecho entre os Castelos do Açu e a Pedra do Sino. Recomendo ter um GPS com o trajeto ou coordenadas principais (abaixo) para não se perder caso não conheça o caminho ou não esteja com guia.

9) Última dica (pouco divulgada): Funcionários públicos e militares podem solicitar isenção através de contato e Ofício para o setor de Uso Público (a sede fica em Teresópolis, tel (21) 2152-1100 ou 2152-1120). Contato uma semana antes!

10) O tempo de deslocamento de cada dia (amarelo, verde e azul), com a distância média entre os principais pontos, está na discriminado na tabela abaixo:



COORDENADAS PRINCIPAIS PARA GPS 

Abaixo estão os dados que usei na travessia com coordenadas UTM para o GPS. Se não me engano, a planilha original foi obtida no site da Trilhas e Rumos

Fuso 23, coordenadas UTM em Este/Norte (metros) 

1. Portaria do Parque (Petrópolis) – 0696819 / 7514508 
2. Bifurcação Açú – Véu de Noiva – 0697976 / 7513904 (Acampamento no Veu da Noiva) 
3. Pedra do Queijo – 0697747 / 7513586 
4. Ajax – 0697727 / 7512508 (Água + Acampamento) 
5. Crista – 0698219 / 7512122 
6. Castelos do Açú – 0699359 / 7512188 – alt. 2.165 m. (Acampamento + Água) 
7. Morro do Marco – 0700049 / 7512609 – alt. 2.160 m. 
8. Água – 0700197 / 7512931 
9. Vale do Paraíso – 0700200 / 7513028 
10. Dinossauro – 0700241 / 7513537 – alt. 2.225 m. (Almoço sem água) Ao chegar no topo, ao invés de descer direto, seguir pela direita (crista) por mais alguns minutos até a trilha correta que desce. 
11. Ponte – 0700939 / 7513759 
12. Crista – 0700897 / 7514103 – alt. 2.107 m. 
13. Vale das Antas – 0701406 / 7514436 (Acampamento + Água). Ao sair do vale, escolher sempre as trilhas que sobem. 
14. Pedra da Baleia – 0701890 / 7514459 – alt. 2.065 m. 
15. Vale da Morte – 0702497 / 7514801 
16. Pedra do Sino/Abrigo 4 – 0702918 / 7514922 - alt. 2.131 m. (Acampamento + Água) 
17. Cota 2000 – 0703711 / 7515308 
18. Abrigo 3 – 0703832 / 7515779 
19. Cachoeira – 0704280 / 7515753 (Água) 
20. Barragem – 0705734 / 7515817 – alt. 1.191 m. 
21. Portaria do Parque - 0707552 / 7516185 


LINKS ÚTEIS



PARNASO (Fanpage no Facebook)   https://www.facebook.com/icmbio.parnaso

A MOCHILA E O MUNDO (Fanpage no Facebook)   www.facebook.com/amochilaeomundo

A MOCHILA E O MUNDO (Grupo no Facebook)  https://www.facebook.com/groups/657540204362450/



MEU ROTEIRO

Abaixo, veja o roteiro e o relato da travessia realizada em 2013:

Roteiro Completo: TRAVESSIA DA SERRA DOS ÓRGÃOS

Próximo: DE PETRÓPOLIS AO AÇU (DIA 1)



Para seguir a FANPAGE no Facebook, clique aqui.

 
Para acessar o GRUPO no Facebook, clique aqui.
Comentários
0 Comentários

0 comentários :

Postar um comentário

Anterior Proxima Página inicial

Reservas na Asia

trazy.com

Promoção! Reserve aqui

Booking.com

Se inscreva no canal

Clique aqui para seguir no

Pesquise o seu destino aqui

Booking.com

Leia Também

Notícias de Viagens

Viagens pelo Mundo

Sobre o autor

Sobre o autor
Renan tem 35 anos, é carioca, mochileiro, torcedor do Botafogo, historiador e arqueólogo amador. Gosta de viajar, fazer trilhas, academia, ler sobre a história do mundo e os mistérios da arqueologia, sempre comparando os lados opostos de cada teoria. Cada viagem que faz é fruto de muito planejamento e busca conhecer o máximo de lugares possíveis no curto período que tem disponível. Acredita que a história foi e continua sendo distorcida para beneficiar alguns grupos, e somente explorando a verdade oculta no passado é que se consegue montar o quebra-cabeça do mundo.

Total de visualizações