Inicio » , , , , » Alemanha: Como conhecer Frankfurt em conexão (parte 1)

Alemanha: Como conhecer Frankfurt em conexão (parte 1)

Explorando a cidade durante a passagem pelo aeroporto


Na minha viagem ao Egito, comprei a passagem na alemã Lufthansa que tinha o preço mais em conta naquele momento. Na hora de escolher o vôo, optei pela conexão de tempo mais longo em Frankfurt, pois assim eu teria tempo de explorar a cidade.

Cheguei a tarde, por volta das 14h45, e a decolagem do vôo de conexão para o Cairo seria às 21h30. A passagem na imigração foi bem tranquila. O agente de imigração perguntou se eu iria ficar na cidade e eu expliquei que estava em conexão e passaria esse tempo no centro histórico de Frankfurt. Sem mais perguntas.

Frankfurt possui o maior aeroporto de carga do mundo, por isso é bastante movimentado. O sistema de transporte entre o aeroporto e a cidade funciona muito bem, novidade para nós brasileiros que vivemos num país de transporte público deficiente, mas comum para o padrão europeu.

Maior aeroporto de carga do mundo em Frankfurt, na Alemanha


COMO UTILIZAR O TRANSPORTE

Ao passar pela imigração, é só seguir as placas que já indicam a estação do trem chamado Regionalbahnhof ou indicado nas placas como S-Bahn. Os trens para o centro de Frankfurt saem das plataformas 1 e 2. Os trens que fazem esse trajeto são o S-8 e o S-9. Nos letreiros eletrônicos das plataformas é possível identificar qual o trem se aproxima e qual sua direção. A direção do centro é a estação Hanau. Cuidado para não embarcar na direção contrária que é Wiesbaden Hbf.  Os trens passam com intervalo de 15 min e a viagem ao centro (Estação Hauptwache que é a quinta estação depois do aeroporto) é de 20 min. Ao embarcar na estação do aeroporto, o trem passa normalmente pelas seguintes estações até o centro: 
                                                       1- Frankfurt am Main Stadion
                                                       2- Niederrad
                                                       3- Hbf (estação central de Frankfurt)
                                                       4- Taunusanlage
                                                       5- Hauptwache (chegou!)

Plataforma S-Bahn do aeroporto e a placa eletrônica com informações dos trens


Mapa do transporte (trem e metrô) de Frankfurt e adjacências


COMO COMPRAR O TICKET 

Antes de embarcar no trem, deve-se comprar o ticket em uma das máquinas automáticas distribuídas pelas plataformas. Além do alemão, você pode escolher o idioma do menu entre inglês, francês, italiano, espanhol e turco. A forma de pagamento pode ser no cartão de crédito ou em dinheiro (moedas e cédulas de 5 ou 10 euros). Tudo é bem didático, tendo inclusive o desenho indicando o local para inserir o meio de pagamento escolhido. Algumas vezes a máquina devolve o dinheiro, isso quer dizer que essa forma de pagamento está indisponível, bastando escolher outra máquina. As melhores opções de tickets a serem escolhidas de acordo com sua necessidade são:

Einzelfahrt (Bilhete simples) - Cobre uma viagem (ônibus, metrô, S-Bahn). O preço: 4,35 .

Tageskarte (Bilhete individual para 1 dia) - Cobre todos os transportes dentro da cidade Frankfurt (ônibus, metrô, S-Bahn). Preço: 8,50 . Vale a mais a pena para quem está em conexão e voltará ao aeroporto no mesmo dia, pois o valor de um Tageskarte é inferior ao Einzelfahrt de ida e de volta separados.

Gruppentageskarte (Bilhete de grupo para 1 dia) - Válido para grupo de até cinco pessoas, cobre todos os transportes dentro da cidade Frankfurt (ônibus, metrô, S-Bahn). Preço: 15 . Vale a pena para quem está acompanhado de pelo menos mais uma pessoa e voltará para o aeroporto no mesmo dia, pois o preço é mais baixo que comprar dois Tageskarte.

Outras opções de tickets são mais específicas para quem quer visitar algumas cidades satélites como Hanau, Wiesbaden, Mainz, Darmstadt, etc.

Para embarcar, não é necessário carimbar, furar ou inserir em catracas. A fiscalização é realizada por funcionários sem uniforme que podem cobrar o ticket durante a viagem. Se for pego sem o ticket, será multado em valor a partir de 40 .

Máquina automática de venda de passagens de transporte urbano


Menu com as opções variadas de ticket para a compra


Locais para se inserir dinheiro ou cartão. O troco e o ticket caem na saída abaixo da tela do menu.


EXPLORANDO FRANKFURT EM UMA TARDE

Ao desembarcar na Estação de Hauptwache eu sabia que não tinha o tempo sobrando para conhecer Frankfurt, então segui as placas procurando uma das saídas mais próximas. A própria estação, por ser um ponto central de comércio, é repleta de lojas e até um KFC. Lá, ainda é possível deixar sua bagagem de mão pequena num serviço self service que custa 2 €.

Para quem vai de carro, os estacionamentos são em média 2,50 € a hora inicial e 0,50 € a cada 30 min adicionais.

Tracei um itinerário passando pelos principais pontos turísticos de Frankfurt: Teatro de Ópera (Alte Oper),  Bolsa de Valores (Frankfurter Borse), Praça Goethe (Goetheplatz), Casa de Goethe (Goethehaus), Igreja de São Paulo (Paulskirche), Praça Römer (Römerberg), Catedral de São Bartolomeu (Kaiserdom St. Bartholomaus) e a margem do Rio Meno (Main)

Guarda bagagem disponível na Estação Hauptwache


Viajei logo após a lavada de 7 x 1 da Seleção Alemã. Nas vitrines, as camisas ainda estão juntas


TEATRO DE ÓPERA

Peguei a saída da estação para o teatro, conhecido como Alte Oper (Teatro Antigo, em alemão), e fui caminhando pela Grobe Bockenheimer Strabe, um calçadão fechado para veículos que concentra vários restaurantes e barzinhos. No final está o Teatro.

Além da bela arquitetura restaurada após os bombardeiros na Segunda Guerra Mundial, o teatro está na história da música por ter sido palco de óperas importantes, exibidas pela primeira vez, como Carmina Burana, de Carl Orff.

Ainda é possível visitar o interior do Teatro (visita paga). Para mais informações sobre o teatro e sua programação (mais de 600 concertos por ano), acesse o site aqui.

A praça em frente ao teatro, conhecida como Opernplatz (Praça da Ópera), possui um belo chafariz e concentra eventos públicos periodicamente, principalmente no verão, como o festival gastronômico realizado em junho.

Sorveteria Haagen Dazs no calçadão a caminho para Alte Oper


Produto em loja infantil com nome brasileiro: Samba de Janeiro


A arquitetura das construções ao lado do teatro conserva o estilo antigo


Teatro de Ópera e sua fonte


Fachada do teatro construído entre 1873 e 1880 


O Teatro foi destruído na Segunda Guerra e reformado nos anos 70. Foi reaberto em 1981


BOLSA DE VALORES

Próximo dali está a Bolsa de Valores de Frankfurt (Frankfurter Borse, em alemão). Ela é importante por estar entre as 10 maiores do mundo. Aliás, Frankfurt é um dos centros financeiros mais importantes da Europa, apelidada de "Mainhattan", unindo o "Main" do seu principal rio, com a palavra Manhattan, bairro de Nova York com o título de maior centro financeiro do mundo. Também é sede do Banco Central Europeu.

Prédio da Bolsa de Valores de Frankfurt

O prédio da Bolsa também é apelidado de "Catedral dos Capitalistas"


O pregão é sediado num edifício em estilo neo-renascentista do final do século 19. É possível agendar uma visita guiada grátis em inglês ao interior da Bolsa, porém deve ser feita com antecedência mínima de 24h, por telefone ou e-mail. É preciso levar uma foto 3x4. Não fiz a visita, porém a mesma começa com um vídeo explicativo do funcionamento dos pregões e, em seguida, uma caminhada pelas galerias. Interessante para quem entende e gosta de marcado financeiro.

Edifício em estilo neo-renascentista construído entre 1874 e 1879


 Em frente ao edifício estão as estátuas de um touro (compradores) e de um urso (vendedores) simbolizando o mercado flutuante. Para acompanhar a variação da Bolsa em tempo real, acesse o site oficial aqui.

Compra e venda de ações simbolizada pelo touro e pelo urso


Placa das estátuas do touro e do urso explicando a simbologia da flutuação do mercado


Esculturas impressionantes da fachada do edifício em frente à Bolsa


A CIDADE NATAL DE GOETHE

No dia 28 de agosto de 1749, nascia em Frankfurt o escritor Johann Wolfgang von Goethe autor da famosa obra Fausto. Ele é considerado o mais importante escritor alemão. Após a Primeira Guerra Mundial, suas idéias foram usadas na instauração da República de Weimar, porém, foi deixado de lado na Alemanha Nazista devido aos ideais humanistas que não combinarem com a ideologia do então Partido Nacional-Socialista. No Brasil, pode-se dizer que seu estilo influenciou Machado de Assis e Guimarães Rosa.

Estátua do escritor na Praça Goethe


Como homenagem à esta celebridade artística, existe uma praça com seu nome e com a sua estátua. Passei pela larga Goetheplatz (Praça Goethe) e segui em direção ao local onde viveu o escritor, no endereço Großer Hirschgraben 23-25. A casa que Goethe nasceu e passou sua juventude é hoje um museu e sua entrada custa 

Horários de funcionamento:
De segunda a sábado: 10h00 às 18h00
Aos domingos e feriados: 10h00 às 17h30

Mais informações no site do museu clicando aqui.

É, em Frankfurt também existe mendigo

Caminho para o museu

Entrada do Museu-Casa de Goethe


PRAÇA RÖMER


O principal ponto turístico da cidade é sem dúvida esta praça de arquitetura típica alemã. Todas as construções foram reconstruídas após a destruição gerada pela Segunda Guerra Mundial, preservando-se o estilo das fachadas. No centro da praça está a Fonte da Justiça (Gerechtigkeitsbrunnen).

O local foi área de comércio medieval entre alemães, franceses e italianos


A reconstrução das fachadas destruídas foi concluída em 1983


Cada arte na arquitetura da praça é muito bem detalhada


A história dessa praça data do século 12


Algo que consegui presenciar é o evento que acontece todo mês de agosto: a Summer Party (Festa de Verão), uma festa regional que torna mais intenso o clima alemão, com os várias barraquinhas que vendem comidas típicas, tudo com muita gordura, no estilo da festa junina do Brasil, onde se pode provar salsichas, croquetes, crepes, etc. 

A Festa de Verão acontece todo mês de agosto em Frankfurt


Carcaça de boi exposta num dos quiosques de comida típica


A praça que é conhecida como Römer Platz ou Römerberg, é o local ideal para provar uma autêntica cerveja alemã nos diversos bares e restaurantes espalhados ao seu redor. Por lá também existem várias lojas de lembranças regionais e animais de pelúcia.

A estátua da Deusa da Justiça na fonte central da praça data de 1543 


Loja que vende ursinhos caracterizados como gênios da arte como Bach e Shakespeare 


IGREJAS DE FRANKFURT

A principal igreja e a mais bonita é a Catedral de São Bartolomeu (Kaiserdom St. Bartholomaus). Também reconstruída após a Segunda Guerra, foi restaurada toda sua arquitetura no estilo gótico dos séculos 14 e 15. É denominada como a Catedral de Frankfurt, apesar de nenhum bispo já ter usado esta igreja como sede de bispado.

Mesmo de longe, essa catedral de 95 metros de altura se destaca entres os prédios


Já havia sido destruída e reconstruída em 1867 devido a um incêndio


Acabei entrando com a missa rolando no interior da Catedral


Esculturas imponentes na entrada


A igreja mais importante do ponto de vista histórico para os alemães é a Igreja de São Paulo (Paulskirche). A história da igreja começa ao ser escolhida como sede do Parlamento de Frankfurt recém eleito democraticamente e que se reuniu lá durante os anos revolucionários de 1848 e 1849. A intensão era escrever uma constituição para uma Alemanha unificada. A tentativa falhou, haja vista que os monarcas da Prússia e Áustria não queriam perder o poder sobre a região. O Parlamento foi dissolvido e o destino dos revolucionários já é de se imaginar.

Belo largo localizado em frente à igreja histórica de São Paulo 


De importância um pouco menor é a Igreja de Santa Satarina (St Katharinen kirche) localizada bem no meio da área moderna da cidade, em frente à Estação Hauptwache e próxima à badalação do calçadão comercial Zeil.

Em meio aos shoppings e lojas de marca está a Igreja de Santa Catarina


MARGENS DO RIO MENO

Com 524 Km de extensão, o Rio Meno é o principal curso d´água da região e afluente do Rio Reno. Assim como toda cidade antiga européia, as suas construções mais antigas estão na margem do rio, eternizando uma época em que a cidade surgiu. Porém aqui eu me surpreendi é com o contraste com o mundo moderno. Além de servir da praia para pegar um sol no verão (sem entrar na água, é lógico), me deparei com um barco de saída para uma festa estilo Rave no rio. 

O antigo e o novo em contraste nas margens do rio


As gramas da margem do Rio Meno: quem não tem praia improvisa


Festa Rave aquecendo para começar no barco


Os alemães também sabem se divertir!


Final de tarde e o barco parte lotado de gente


E a festa bombando!


Cruzei uma a Ponte Velha para conhecer a margem oposta do rio. Deste lado se localizam alguns bons museus como o Liebieghaus com grandes esculturas egípcias, romanas e renascentistas. Funciona de 10h00 às 18h00 (quinta fecha 21h00). Preço: 7 €. E o Museu Staedel que possui obras de arte. Funciona de 10h00 às 18h00 (quinta e sexta fecha 21h00). Preço 12 € (de terça a sexta) e 14 € (sábado e domingo).

A cidade possui cerca de 60 museus, sendo que 13 deles estão na beira do Rio Meno


Voltei para a outra margem pela Ponte de Ferro (Eiserner Steg). Apesar do nome, a ponte é na verdade feita de aço e arrebitada em dois pilares de ponte. Quando foi construída em 1868, manteve esse nome por causa do ferro que era um material mais conhecido popularmente. Também foi reconstruída após a Segunda Guerra.

A vista da cidade a partir da ponte é bem bonita, pois mescla as construções históricas a frente, incluindo a torre da Catedral, com os arranha céus no fundo. Assim como a maioria das pontes européias, os casais prendem cadeados em suas grades como tradição e superstição. A prática é "trancar" o amor e jogar a chave no rio.

Paisagem do antigo e do novo na ponte que cruza o Rio Meno


No alto da ponte, em grego, uma citação da Odisseia de Homero (I, 183)


Centenas de cadeados presos na estrutura da ponte


A Ponte de Ferro possui 170 metros de comprimento


A Ponte de Ferro fica na altura da Praça Römer. Ali, na beira do Rio Meno, havia um parque de diversões que era parte da Festa de Verão que acontecia no local. Brinquedos de parque, barracas de comida típica e diversão. Até barraca de pescaria eu vi.

Deu até vontade de ir no parque


RETORNO AO AEROPORTO

Depois de conhecer vários pontos de Frankfurt, era hora de partir! Peguei novamente o S-Bahn, desta vez em direção a Wiesbaden Hbf, e desci na estação Frankfurt Airport. Para embarcar não precisa fazer check in, basta passar novamente no raio-x. Recomendo chegar com umas 2 horas de antecedência para não se atrasar para o vôo no caso da fila estar grande, como foi o caso de meu embarque.

Apesar de ser um dia bastante produtivo, a cidade oferece mais atrações para se conhecer, como Jardim Botânico Palmengarten e Zeil, a mais famosa rua de comércio da cidade, mas tudo isso deixei para fazer na conexão de retorno.


GASTOS DO DIA (agosto 2014)

Passagem de trem - 7,50 euros
Água 1,5 L - 2 euros
Pão com salsicha - 3 euros


MEU ROTEIRO

Anterior: TRASLADO AO EGITO

Roteiro completo: MISSÃO EGITO

Próximo: CAIRO CENTRAL E MUSEU EGÍPCIO


Siga A Mochila e o Mundo no Facebook e fique ligado nas novidades.

Comentários
0 Comentários

0 comentários :

Postar um comentário

Anterior Proxima Página inicial

Reservas na Asia

trazy.com

Promoção! Reserve aqui

Booking.com

Se inscreva no canal

Clique aqui para seguir no

Pesquise o seu destino aqui

Booking.com

Leia Também

Notícias de Viagens

Viagens pelo Mundo

Sobre o autor

Sobre o autor
Renan tem 35 anos, é carioca, mochileiro, torcedor do Botafogo, historiador e arqueólogo amador. Gosta de viajar, fazer trilhas, academia, ler sobre a história do mundo e os mistérios da arqueologia, sempre comparando os lados opostos de cada teoria. Cada viagem que faz é fruto de muito planejamento e busca conhecer o máximo de lugares possíveis no curto período que tem disponível. Acredita que a história foi e continua sendo distorcida para beneficiar alguns grupos, e somente explorando a verdade oculta no passado é que se consegue montar o quebra-cabeça do mundo.

Total de visualizações